sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Para reflexão... (5 voltas em torno de si hoje, please...)


Um casal mudou-se para um novo bairro. Na manhã do dia seguinte, enquanto tomavam café da manhã, a mulher olhou pela janela e viu sua vizinha estendendo roupas. Imediatamente ela comentou com o marido: “As roupas não estão limpas, nossos vizinhos não sabem lavar roupa, quem sabe eles precisem de um sabão melhor!”.

Durante um mês eles comentaram sobre as roupas sujas dos vizinhos. Até que um dia a mulher olhou pela janela e viu a vizinha estendendo roupas impecavelmente limpas.

Então ela disse ao marido: “Nossos vizinhos finalmente aprenderam a lavar roupa, veja como estão limpas! Quem será que os ensinou?”.

Então o marido lhe disse: “Minha querida, na verdade fui eu que acordei mais cedo hoje e limpei a nossa janela!!!”.

Assim é a vida: aquilo que vemos quando olhamos os outros depende de quão limpas estejam as janelas através das quais olhamos. Antes de criticar e buscar algo no outro para julgar, quem sabe não seja melhor perguntar se não estamos prontos para um novo olhar.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Apenas soprando pensamentos...

Bem, e cá estou, novamente, a soprar meus pensamentos ao vento...

Estava eu passando tempo no Facebook e eis que me deparo com essa imagem... (como não pensar?)

A maternidade pra mim não foi um plano, uma escolha, um caso pensado, ela veio pra mim como um turbilhão, no momento mais improvável, no instante em que eu tinha, pela primeira vez, feito planos de cuidar de mim... 

Eu não podia, não devia, nem sei se queria mas... Deus é quem sabe de TODAS as coisas, e minha Bel apareceu...

Tantas dúvidas, tantas dores, tantas crises, tanto cuidado... Eu posso não ter feito o "plano" mas recebi a missão e abracei com todas as forças que eu tinha (e eu tinha poucas, muito poucas)...

Hoje, quando olho minha filha brincando, correndo (sim, ela já corre rsrs) pela casa, sorrindo, choramingando (fingindo choro, fazendo dengo... Ela é ótima nisso kkk), sendo apenas a criança linda que Deus permitiu que ela seja, eu vejo que sim, era exatamente o que eu precisava pra renascer...

É tanto amor que não cabe em palavras, gestos, nem na Bhaskara caberia...

Graças a esse Bom Deus eu estive presente em todos os momentos (primeiros dentes, primeira papa, primeira palavra, primeiros passos, primeiro aniversário)...

Ser mãe/pai é uma responsabilidade sem tamanho... Não existem ex-mães, ex-pais, e, INFELIZMENTE, nossas crianças ainda estão passíveis ao abandono, transvestido na fantasia do "não quero ver fulano nem pintado de ouro", quando os relacionamentos terminam, só que alguns se esquecem de olhar suas próprias histórias e repetem os erros daqueles que os abandonaram (por generosidade eu prefiro acreditar que exista algum componente genético que faça isso... Um ser humano "geneticamente normal" não se valeria de um argumento tão rasteiro para abandonar suas sementes)...

Quando vi essa imagem algo mexeu comigo... Eu nunca assisti o filme mas o título veio logo em minha cabeça... "Brilho eterno de uma mente sem lembranças"...

Quando o álbum de "lembranças" for aberto na cabeça dos nossos pequeninos quais lembranças existirão?

Tenho uma pequena e gigantesca mágoa da vida... Ver minha história (e sua também) repetida...

Talvez mãe saiba mais mesmo das coisas... Talvez... Saber passar por cima de suas próprias mágoas em nome da felicidade e bem estar de um filho... Talvez só mãe saiba mesmo...

Eu sempre estarei aqui minha pequenina... No seu presente e no seu futuro... Porque meu amor por você é maior do que qualquer mal que me bata na cara...

Filho é muito mais que uma conta pra pagar... Filho é um amor que não tem fim...

Mas a vida ensina... Não ensina?

Vida que segue...


quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Ai, ai Senhor...

Daí estamos apenas no 14° dia do ano e sua mãe tá doente, necessitando de acompanhamento médico constante, desmaiando na rua, etc, etc e etc, sua filha resfriada, você cansada, sem dinheiro, com ponto eletrônico no trabalho, num lugar distante, sem um amigo ou familiar por perto...

É pedir força a Deus e seguir em frente...

Abençoa minha família Senhor...

Olhai por nós que clamamos por Tua misericórdia...

Que seja feita Tua vontade e que tudo siga pelo caminho menos doloroso.

Não me permita dobrar Senhor...

Cuida da minha mãe Pai, te peço em nome do Teu Filho... Cuida Senhor...

Amém!

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Adaptando a declaração de amor do poeta... (11)


Tudo Bem


Já não tenho dedos pra contar
De quantos barrancos despenquei
E quantas pedras me atiraram
Ou quantas atirei
Tanta farpa, tanta mentira
Tanta falta do que dizer
Nem sempre é "so easy" se viver

Hoje eu não consigo mais me lembrar
De quantas janelas me atirei
E quanto rastro de incompreensão
Eu já deixei
Tantos bons quanto maus motivos
Tantas vezes desilusão
Quase nunca a vida é um balão

Mas o teu amor me cura
De uma loucura qualquer
É Te encostar no seu meu peito
E se isso for algum defeito
Por mim tudo bem
Tudo bem, tudo bem

(Um dia um amigo muito querido, em 2001, me disse que essa música parecia muito comigo... Ele recostou em meu peito, num abraço caloroso, e eu me emocionei... Realmente, essa música parece muito com tudo que vivi e vivo... Mas hoje, com minha "sementinha", ela se tornou ainda mais significativa pra mim... O mundo "lá fora" pode estar desabando mas quando ela encosta no meu peito... Ai, ai... Tudo passa a fazer sentido... Isso sim é amor... Por isso sim vale a pena viver... A mamãe te ama bebê... Sempre e para sempre...)