quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Um...



UM, DOIS, TRÊS...

NÚMEROS, CÓDIGOS, NEM SEI...


UM...

O CORPO VIBRA...


DOIS...

A ALMA GRITA...


TRÊS...

SE A RAZÃO PASSOU POR AQUI?

NEM SEI.


NADA ME COMPLETA...

NADA ME DESCOMPLEXA...

NADA É TUDO QUE RESTA...


NADA...

NADA...

NADA...


NATIVA, 09.10.09... SEI LÁ, NEM SEI PQ...

Não ter emoções...


Já ouvi falar de toda sorte de complexos, de todas as faces dos sentimentos, de sensações, mas está é a primeira vez que me deparo com o “complexo de insensibilidade”...

De repente nenhuma emoção, nenhuma lágrima, um arrepio, um calafrio, nada...

Apenas passando pela vida...


(Fabrine/Nativa... 05.09.09... Sem emoção pra concluir...)


Dia das bruxas...


Hoje eu vi que se alguém quer alguma coisa de fato, vai atrás...

É talvez eu deva aprender um pouco sobre o “relaxa e deixe acontecer”...

Desistir de buscar uma coisa não significa, necessariamente, que deixamos de querer...

(A confusão dentro de mim é tão grande que ando desistindo de tudo... rsrs)

Ensinei-me a ser educada, gentil, atenciosa, prestativa e carinhosa com as pessoas, mas talvez isso seja demais para as pessoas... Talvez elas não estejam acostumadas com gente assim...

Não gosto de coisas deixadas no ar, coisas sem explicações, de deixar as pessoas esperando, de faltar a um compromisso, e de tantas outras coisas mais...

Sabe, acho que me justifico demais, que me envergonho demais quando falho, que peço desculpas demais...

É, hoje foi um dia de descobertas...

Ver alguém que você estima ignorar você por estar parecendo a “Ogrinha do Sherek” é meio surreal...

(Eu e minha mania de simplicidade...)

Na verdade, eu queria mesmo era esquecer o dia de hoje e fingir que não viajei porque não tava afim, que ninguém me fez prometer ir a uma festa, perder o feriadão super prolongado, e depois simplesmente “desistir” e me deixar plantada como um abacaxi na frente deste computador... (E olha que gastei a grana da viagem arrumando unha, cabelo e plá... Ai que raivinha... “Raivinha” porque eu esqueço rápido também...rs)

Tenho que aprender a confiar só nos “sacos de cimento”, ou seja, no “concreto”... kkkkkk....

Deixa pra lá né? Já passei mesmo, já mofei mesmo, gastei o dinheiro mesmo, fui ignorada mesmo, já me senti a “Ogrinha do Sherek” mesmo... Algo vai mudar? Nãoooo... Então melhor não “dramar” mais nada...

Amanhã como bolo de chocolate, lavo uma roupa, vejo um filme e tudo passa... (Como tudo na vida... Passa, passa, paaaasssaaaa... rsrsrs)

Vou ali comer um brigadeiro e esquecer...

Abraço!

(Fabrine... 31.10.09... “Dia das bruxas”... Depois de um GRANDE “desencontro”... Até o carregador do celular achou de quebrar... Cada um tem o que merece... Buááááá... Kkkkkkk...)

Momento de apatia absoluta...

Ouvi uma frase na TV que dizia: “A viola só gosta do violeiro apaixonado e não correspondido, assim ele se debruça sobre ela e daí nasce as mais belas composições”... Acho que a “pena” também sente isso em relação aos poetas...

Um poeta sem paixão é como um céu sem estrelas... Não chama atenção, apesar de estar onde sempre esteve... Não brilha, não vibra, não traduz... É só um manto de escuridão...

Ah... A ausência da paixão é uma “meio morte” para os poetas...

Nada tem gosto, nada tem cor...

Tudo é nada quando falta paixão correndo nas veias do poeta...

O coração bate, mas não suspira...

Ele até respira, mas não delira...

Não, não, não...

Não há vida sem paixão prós poetas...

Acordar, respirar, dormir...

Nenhuma rima, uma emoção, nada que lhe tire dos “trilhos da normalidade”...

E ele se torna vazio, oco, opaco, sem brilho... Cai na vida real...

Dá pra imaginar um poeta real?

Dá pra imaginar um poeta normal?

Mulheres e crianças primeiro...

Eis que o navio do poeta foi a pique...

Isolem-no, internem-no, dopem-no...

Não há vida que perdure no coração do poeta sem paixão...

E como nada rima, nada vinga quando assim estão os poetas, eis aqui um atestado de óbito deste coração poeta que vaga pelo mundo sem paixão...

(Fabrine, 06.09.09... Num domingo “daqueles”...)

Escrever...

Meu passatempo? Meu “ganha tempo”? Meu “perder tempo”?

Tantas vezes eu quis entender os motivos do meu “escrever”... Podia ser o canto, a pintura, o verbo, a velocidade, mas é “a escrita”... Como explicar?

Nunca, quando criança, sonhei escrever sentimentalidades... Até gravitar no “além terra” eu sonhei... Ah, astronauta... Escritora? Não, eu não sonhava... Hoje, depois de virar “gente grande”, eis o meu grande, quiçá último, sonho...

Sempre fui boa leitora, sempre viajei no mundo das letras, mas não pensava me deixar guiar por elas...

É... Incrível mesmo é se deixar levar pelos sonhos nunca dantes navegados...

Poesia, crônica, verso, prosa... Qual caminho é o meu de fato?

Prefiro seguir bailando na melodia dos sonhos... Nos que nunca sonhei, nos que nunca senti... Navegando num mundo que nunca senti...

Perco-me nos versos, navego nos sonhos, me envolvo no porvir...

Guia-me escrita... Guia-me...

(Fabrine, 14/09/09... Noite... Apenas “escrevendo”...)

Com tuas mãos...

Envolve-me...

Abraça-me...

Protege-me...

Toma-me...

Faz-me tua...

Aquece-me...

Guia-me...

Perde-te em mim...

Desvenda-me...

Percorre-me...

Faz-se meu...

Em tuas mãos...

Estou...

Estás...

Estamos...

Guia-nos...

Guia-nos...

(Fabrine... 14/09/09... Noite... Apenas noite...)

Antes que eu adormeça...


Que esse pranto cesse...

Que essa agonia arrefece...

Que toda culpa (leia-se dor) se disperse...

(FTS – VCA – 23.03.09)

domingo, 25 de outubro de 2009

Uma emoção gostosa de sentir... (Dé, brigadúúúúú... Bjs)

Depois de um tempo sem sentir nenhuma emoção eis que a vida sempre me surpreende...
Conhecer pessoas é meio que "lugar comum", mas a vida me trouxe mais um amigo especial que me fez esta homenagem (a foto acima)...
Nem sei bem o que dizer... Mas vou dizer mesmo assim...

Amigo querido...
Fico muito feliz com este presente... Há muito tempo que não fico feliz assim...
Quanto carinho...
Agradeço pela gentileza, por você ser esta pessoa linda que és e por fazer parte da minha doida vida...
Seja bem vindo e fique o quanto quiser...
Beijo grande, meu novo e querido amigo, André!

Ai ai... Melhor que isso??? Só abraço mesmo... (E bolo de chocolate...kkkk... Os dois juntos é o paraíso....kkkkk)
Abraços a todos e felizzzzzzzzzzzz semanaaaaaaaaaaaa!!!!

domingo, 4 de outubro de 2009

Poesias que falam por mim... Já que meu EU insiste em silenciar...




Inefável


Nada há que me domine e que me vença

Quando a minha alma mudamente acorda...

Ela rebenta em flor, ela transborda

Nos alvoroços da emoção imensa.


Sou como um Réu de celestial sentença,

Condenado do Amor, que se recorda

Do Amor e sempre no Silêncio borda

De estrelas todo o céu em que erra e pensa.


Claros, meus olhos tornam-se mais claros

E tudo vejo dos encantos raros

E de outras mais serenas madrugadas!


Todas as vozes que procuro e chamo

Ouço-as dentro de mim porque eu as amo

Na minha alma volteando arrebatadas...


Cruz e Souza

"Do tempo...


Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.

Tempo de absoluta depuração.

Tempo em que não se diz mais: meu amor.

Porque o amor resultou inútil.

E os olhos não choram.

E as mãos tecem apenas o rude trabalho.

E o coração está seco."


Carlos Drummond de Andrade

(Suspiro)


"É difícil perder-se.
É tão difícil que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar,mesmo que achar-me seja de novo a mentira em que vivo."

Clarice Lispector

...Um pouco de poesia...

Deixe dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer !
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.
Tem dolencia de veludo caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer !
Mas, meu Amor, eu não te digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz !
Amo-te tanto ! E nunca te beijei...
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz.
Florbela Espanca

... E continuo a ter saudades de mim...


quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Momento de anestesia geral...


Eu venho tentando escrever mas não consigo...

Vivo um momento de apatia...

Nem sei explicar...

Ahhhhhhhhhhhhhhh, por favor, preciso de uma emoção urgente...

Estou entediada por não conseguir escrever nadinhaaaaaaaa...

Que @#$%@¨*(@&#¨%$@

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Tentando, tentando, tentando...

Me livrar deste momento de letargia... E seguir novos rumos...

terça-feira, 30 de junho de 2009

Se eu fosse...

se eu fosse um mês: EU SERIA JUNHO!

se eu fosse um dia da semana: SÁBADO!

se eu fosse uma estação do ano: O OUTONO!

se eu fosse um planeta: UM AINDA NÃO DESCOBERTO!

se eu fosse uma direção: RUMO AO INFINITO!

se eu fosse um móvel: UM PUFF (RS)!

se eu fosse um pecado: LUXÚRIA!

se eu fosse um sentido: OLFATO!

se eu fosse uma pedra: AMETISTA!

se eu fosse uma planta: IPÊ-ROXO!

se eu fosse uma flor: MARGARIDA!

se eu fosse um clima: ACOLHEDOR!

se eu fosse um prato: QUENTINHO... KKKKK...

se eu fosse um instrumento musical: UMA GUITARRA!

se eu fosse um elemento: O FOGO!

se eu fosse uma cor: O VERDE!

se eu fosse um animal: UMA LEOA!

se eu fosse um som: UM ASSOVIO!

se eu fosse uma música: "COISAS QUE EU SEI"... (DANNI CARLOS)

se eu fosse um sentimento: A PAIXÃO!

se eu fosse um lugar: UMA MONTANHA!

se eu fosse um sabor: AGRIDOCE!

se eu fosse uma palavra: POESIA!

se eu fosse um verbo: SONHAR!

se eu fosse um objeto: UM MP4...

se eu fosse uma parte do corpo: MÃOS!

se eu fosse um número: 2...

se eu fosse um símbolo: EU SERIA "RETICÊNCIAS" (...)


Brincadeira reitirada do: http://omundodepriscilla.blogspot.com/

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Só por hoje...

Fechar os olhos...


Eis que é chegado o momento de fechar os olhos... Os da face e os da alma...

Não quero mais enxergar coisas, pessoas, ações, sentimentos, ou o que quer que seja...

Quero um pouco de cegueira... Poder "ver" a vida em braille...

Saramago bem o fez no seu "Ensaio sobre a cegueira"...

Está na hora de começar a ensaiar por aqui também...

Nem tudo que parece é... Nem tudo vale a pena ser visto...

O que mata os sonhos são as expectativas que depositamos neles...

Eis que está decretada aqui a cegueira da minha alma...

Fim...

O sentimento do dia????


"Porquê que tem que ser assim????"

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Oque dizer?????

Uma vontade intensa de abraçar, de acolher...

Ai, ai...

Nem sei explicar...

Sequer quero entender...

Preciso apenas me permitir SENTIR!!!!

Assim seja...

Abraçooooooooo!!!! (rs)

sábado, 13 de junho de 2009

O que busco?


Ando me perguntando muito isso ultimamente... "O que busco?"

É normal que isso aconteça quando a gente passa por um "chamado da vida" (quem acompanha este espaço sabe do que estou falando)...

Passei a questionar o meu querer, o meu sentir, o meu agir,... Passei a questionar tudo nesta minha "doida existência"... (justo eu que tenho mania de "pq".. kkkkk)

Passei minha vida inteira buscando sentido para o amor, para as relações, para a existência, para as falhas, para os acertos... Como se fazer sentido fosse o que mais importasse... Que perda de tempo...

Perdi tanto tempo tentando entender que esqueci de sentir, de viver, de provar a vida....

No afã de viver dias "quadradinhos" deixei tanta coisa escapar...

Pensava comigo: "Eu quero um sonho, um conto de fadas, um momento perfeito, uma melodia envolvente... Um sonho... Sim, um sonho".... Mas esqueci de fechar os olhos e deixar a emoção me guiar... (e eu que me julgava muito "emoção"... ai ai...)

Hoje eu vejo que o que sempre preguei, que o simples é o mais belo, o mais precioso, o que realmente importa, é de verdade o que sempre busquei...

Nada de contos, de fadas, de complexidade, de teorias mirabolantes... Era simples... Era "o simples"...

Enfim, quando a distração me tomou, pude encontrar o simples, tocar o simples, sentir o gosto do simples...

Enfim eu descobri o que busco... O que sempre me fez falta... CUMPLICIDADE!!!

Tão simples, "o simples", que a gente acaba nem prestando atenção...

Temos mania de fogos de artifício... (rs)

Hoje posso dizer que sei o que busco... (Quem sabe até o tenha encontrado)

Não quero, nem pretendo, ter a "posse" do simples... Quero apenas me deixar simplificar...

Oxalá tudo permaneça assim... Simples... Cúmplice... Bom de provar...

Oxalá...

Vamos lá? Simplificar é preciso, tanto quanto viver...

Abraço!

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Novas idéias para fazer... (e rir...kkkk)

No elevador:

1) Quando houver só uma pessoa no elevador, de um tapinha no ombro dela e finja que não foi você.

2) Aperte os botões do elevador e finja que eles dão choque. Sorria e faça de novo.

3) Se ofereça para apertar os botões para os outros, mas aperte os botões errados.

4) Segure a porta e diga que está esperando por um amigo. Depois de algum tempo deixe a porta fechar e diga: “Olá Zé. Como vai você?”

5) Deixe cair sua caneta e espere até alguém se oferecer para pegá-la; então grite: “Ei, é minha!”

6) Traga uma câmera e tire fotos de todos no elevador.

7) Traga uma mesa para dentro do elevador e quando alguém entrar, pergunte se marcaram hora.

8)Leve um Banco Imobiliário e pergunte para as pessoas se elas querem jogar.

9) Deixe uma caixa no canto, e quando alguém entrar, pergunte se elas ouviram um tique-taque.

10) Finja ser uma aeromoça e revise os procedimentos de emergência com os passageiros.

11) Pergunte: “Você sentiu isso?”

12) Fique bem perto de alguém, fungando seu cangote de vez em quando.

13) Quando a porta se fechar, fale: “Tudo bem. Não entrem em pânico. Ela abrirá novamente”.

14) Mate moscas que não existem.

15) Diga às pessoas que você pode ver a aura delas.

16) Grite: “NINGUÉM É DE NINGUÉM…!! e apague as luzes”,

17) Faça caretas enquanto bate dolorosamente na sua própria testa e murmure: “Calem a boca, todos vocês, calem a boca!”.

18) Abra sua pasta ou bolsa, e enquanto olha dentro, pergunte: “Tem ar suficiente aí dentro?”

19) Fique quieto e parado no canto do elevador, encarando a parede.

20) Encare outro passageiro por um tempo, e grite com horror: “Você é um deles!” e recue devagar.

21) Coloque uma marionete na mão e use-a para falar com os outros.

22) Pegue um estetoscópio e ausculte as paredes do elevador.

23) Faça barulhos de explosão com a boca quando alguém apertar um botão.

24) Encare outro passageiro por um tempo, e fale: “Estou usando meias novas”.

25) Desenhe um pequeno quadrado no chão com giz, e diga para os outros: “Este é o meu espaço”.

No Supermarcado:

- 1. Agarre 20 caixas de preservativos e ponha-as em vários carrinhos, aleatoriamente, quando a pessoa estiver distraída.

- 2. Vá ao departamento de eletrônicos e programe os despertadores para tocarem de 5 em 5 minutos.

- 3. Vá ao atendimento a clientes e pergunte se podem reservar um pacote de M&Ms pra você.

- 4. Monte uma tenda na seção de camping, diga aos outros clientes que vais passar a noite por lá, e convença as pessoas a trazerem almofadas da secção têxtil e a juntarem-se a você para um luau.

- 5. Quando um funcionário perguntar se você precisa de ajuda, comece a chorar e grite: “Porque é que vocês não me deixam em paaaaz?!?”

- 6. Encontre uma câmara de vigilância e use-a como espelho enquanto tira meleca do nariz.

- 7. Procure uma faca de açougueiro bem afiada. Leve-a contigo durante todo o percurso das compras (deixe-a bem aparente) e vá perguntando aos funcionários se ali vendem anti depressivos.

8. Deslize pela loja com um ar suspeito, encarando a todos, enquanto canta o tema da “Missão Impossível”.

- 9. Esconda-se atrás das roupas que estão expostas em cabides e quando alguém estiver vendo os produtos grite “ME ESCOLHE! ME LEVA PARA CASA!”

- 10. Quando alguém anunciar seja o que for no alto-falante, deite no chão, em posição fetal, e grite: “NÃÃÃO! As vozes! Outra vez as vozes! Parem! Saiam!”

E, por fim:

- 11. Vá ao provador de roupas. Feche a porta, aguarde uns minutos e depoi grite: “Onde é que está o papel higiênico????!”

Um suspiro...


"E é exatamente quando a gente tá cansado que o coração distrai então a sorte vem"...

domingo, 7 de junho de 2009





É, algumas pessoas se acham "deuses"...


Me intriga pensar o quão inflado é o ego de determinadas pessoas...
Calma lá meu povo... Quê que é isso? Pega leve aê...

Temos que estar o tempo inteiro disponíveis, "ao seu dispor", como se o mundo girasse ao redor dos seus "inigualáveis" umbigos... Pelo amor do beirute light... Me erra...


Sejamos honestos, seres humanos (alguns mais "humanos" que outros)...

"Mundo é azul? Qual é a cor do amor?"... O poeta até pode cantar isso, mas querer que os outros estejam sempre lá conferindo as cores e se derramem aos seus pés dizendo-as... Fala sério né? Pelo amor da Aveia Quaker...


Ah, cansei de servir de trampolim para estes "pseudo-deuses"... Tem gente que não sei não viu...


Querer ir além dos nossos próprios horizontes é muito bom mas daí a ter que se submeter aos caprichos alheios, ter que ficar "adulando", correndo atrás, pedindo "pelo amor de Deus", isso não... Eu hein...


Que saco essa história de que ser poeta é ser "diferente", é ser "quase deus"... Fala sério... E poeta pode tudo? E poeta não lembra que os outros tem sensibilidade também não? Que droga de ego é esse? Desce daí meu filho... Sou igual a você, ow... Que coisa...


Eu tinha que desadafar... Afffffffffffffffffffffffffffffff... Putzzzzzzz...

O que eu não entendo é o motivo de seres (ditos) tão "sensíveis" serem tão "ríspidos" simultaneamente...

É, realmente, o poeta é diferente... Tem horas que ele é "um pé no saco"... (Posso dizer isso dos poetas... Também o sou... rs)

Abraço aos "não poetas"...


Aos poetas... Afffffffffffffffffffff... Putzzzzzzzzzzzzzzz...

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Sonhos...


Eu quero sonhos...
Os doces, os torpes, os de todas as espécies...


Quero acordar todos os dias, viver um pouco da realidade (pois ser prático é preciso) e tornar a sonhar...


Quero rubros sonhos, sonhos de algoodão doce...
Quero sonhos cor de rosa, sonhos da cor do céu...
Quero sonhos de todas as cores, cheiros e sabores...


Sim, eu quero sonhos...


Quero tudo que puder formar minha mente...

Tudo que a vida me permitir sonhar...


Sim, eu quero ser...


Quero ser um sonho...


Quero sonhos calmos, como amanhecer em feriado...

Quero sonhos quentes, como brasa de fogueira junina...
Quero sonhos turbulentos como corrida de formula truck...

Sim, eu quero sonhos...


Sejam sonhos de creme, de goiabada, de padaria...

Que sejam doces meus sonhos...
Que sejam sonhos...
Simplesmente sonhos...


Hoje eu toquei emoções fortes...

Fui sacudida por um sonho...

Foi uma emoção dolorosa, mas foi uma emoção...

A realidade é sempre mais ou menos...
O sonho é sempre intensidade...


Sim, eu quero sonhos...

Sim, eu quero...


Sonho...
Sonho...
SONHAR...


Vamos lá?


Abraço!

Sim, tenho medo...


Miedo

Lenine

Tienen miedo del amor y no saber amar
Tienen miedo de la sombra y miedo de la luz
Tienen miedo de pedir y miedo de callar
Miedo que da miedo del miedo que da

Tienen miedo de subir y miedo de bajar
Tienen miedo de la noche y miedo del azul
Tienen miedo de escupir y miedo de aguantar
Miedo que da miedo del miedo que da

El miedo es una sombra que el temor no esquiva
El miedo es una trampa que atrapó al amor
El miedo es la palanca que apagó la vida
El miedo es una grieta que agrandó el dolor

Tenho medo de gente e de solidão
Tenho medo da vida e medo de morrer
Tenho medo de ficar e medo de escapulir
Medo que dá medo do medo que dá

Tenho medo de acender e medo de apagar
Tenho medo de esperar e medo de partir
Tenho medo de correr e medo de cair
Medo que dá medo do medo que dá

O medo é uma linha que separa o mundo
O medo é uma casa aonde ninguém vai
O medo é como um laço que se aperta em nós
O medo é uma força que não me deixa andar

Tienen miedo de reir y miedo de llorar
Tienen miedo de encontrarse y miedo de no ser
Tienen miedo de decir y miedo de escuchar
Miedo que da miedo del miedo que da

Tenho medo de parar e medo de avançar
Tenho medo de amarrar e medo de quebrar
Tenho medo de exigir e medo de deixar
Medo que dá medo do medo que dá

O medo é uma sombra que o temor não desvia
O medo é uma armadilha que pegou o amor
O medo é uma chave, que apagou a vida
O medo é uma brecha que fez crescer a dor

El miedo es una raya que separa el mundo
El miedo es una casa donde nadie va
El miedo es como un lazo que se apierta en nudo
El miedo es una fuerza que me impide andar

Medo de olhar no fundo
Medo de dobrar a esquina
Medo de ficar no escuro
De passar em branco, de cruzar a linha
Medo de se achar sozinho
De perder a rédea, a pose e o prumo
Medo de pedir arrego, medo de vagar sem rumo

Medo estampado na cara ou escondido no porão
O medo circulando nas veias
Ou em rota de colisão
O medo é do Deus ou do demo
É ordem ou é confusão
O medo é medonho, o medo domina
O medo é a medida da indecisão

Medo de fechar a cara
Medo de encarar
Medo de calar a boca
Medo de escutar
Medo de passar a perna
Medo de cair
Medo de fazer de conta
Medo de dormir
Medo de se arrepender
Medo de deixar por fazer
Medo de se amargurar pelo que não se fez
Medo de perder a vez

Medo de fugir da raia na hora H
Medo de morrer na praia depois de beber o mar
Medo... que dá medo do medo que dá
Medo... que dá medo do medo que dá

Resignificar...


(Putz, que momento complicado...)

De repente você acorda e tudo está diferente... Não no mundo... Em você!

O que fazer com todas as crenças acumuladas? Com toda sua visão do mundo? Com seu "conhecimento de mundo"?

De repente não é mais quinta-feira, já não se pode brincar, não se pode esperar, não se pode adiar...

De repente é você de frente consigo e a pergunta: O que fizeste de mim?

De repente nada mais faz sentido... Coisas, pessoas, lembranças, anseios antigos, os planos, as metas, os sonhos, o todo... NADA!

Como pintar tudo de outra cor se todas as coisas já foram "pintadas" com as cores que lhe são peculiares? Como?

De repente você se pega tendo que reescrever o que sequer fora escrito de verdade... Tendo que mudar o que nunca foi... ( É F***!!!!)

Morangos verdes? Qual a cor do "chantilly" que você usará então?

Resignificar... Eis o maior de todos os desafios...

Se nunca experimentou, não se preocupe, na hora certa a vida vai te "balançar"...

Sucesso então...

Abraço!!!!!!!

Vamos lá? Eu vou... Te espero lá...

Eu ando tão "down"... (????)



Minha Casa

Zeca Baleiro


É mais fácil
Cultuar os mortos
Que os vivos
Mais fácil viver
De sombras que de sóis
É mais fácil
Mimeografar o passado
Que imprimir o futuro...

Não quero ser triste
Como o poeta que envelhece
Lendo Maiakóvski
Na loja de conveniência
Não quero ser alegre
Como o cão que sai a passear
Com o seu dono alegre
Sob o sol de domingo...

Nem quero ser estanque
Como quem constrói estradas
E não anda
Quero no escuro
Como um cego tatear
Estrelas distraídas
Quero no escuro
Como um cego tatear
Estrelas distraídas...

Amoras silvestres
No passeio público
Amores secretos
Debaixo dos guarda-chuvas
Tempestades que não param
Pára-raios quem não tem
Mesmo que não venha o trem
Não posso parar
Tempestades que não param
Pára-raios quem não tem
Mesmo que não venha o trem
Não posso parar...

Veja o mundo passar
Como passa
Uma escola de samba
Que atravessa
Pergunto onde estão
Teus tamborins?
Pergunto onde estão
Teus tamborins?
Sentado na porta
De minha casa
A mesma e única casa
A casa onde eu sempre morei
A casa onde eu sempre morei
A casa onde eu sempre morei...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Uma luz... Várias respostas... Grandes certezas...


Quando mais precisei o céu se abriu e muitos anjos me socorreram...
Obrigada!
Obrigada!
Obrigada!
100000000 de vezes OBRIGADAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!

Então vamos lá?


Depois da maresia... MÃOS À OBRA...
Começo a subir pelos atalhos que se abriram em mim...
Vaguei durante anos esperando encontrar um brecha por onde eu pudesse escapar de mim... Tolice... O que eu precisava era "entrar em mim"...
Tenho um interior surpreendente e que se supera a cada passo, pois se reinventa a cada queda, a cada tombo, a cada experiência mal sucedida...
Sim, senhoras e senhores, eu andei...
Passei anos a fio tentando enxergar o que nunca existiu em mim, o que jamais existirá, o que sequer fizera parte do meu caminho...
Tentei viver e esqueci de ser eu...
A vida não espera, ela segue, ela passa, ela arrasta, ela esmaga...
Não adianta fingir que não é com você... É com você... É você!
Sim, senhoras e senhores, agora é hora de mergulhar em mim...
Não adianta permanecer de olhos vendados... Preciso abri-los pois o caminho agora é outro... É novo... É o meu caminho... O caminho que EU terei que escolher...
(Amémmmmmmm!!!!!)
Posso até não ser feliz nas minhas escolhas mas, certamente, serão MINHAS ESCOLHAS...
Aqui eu vou postar uma canção que vai servir de inspiração pra este novo momento da minha "existência"...
/
Tudo Novo de Novo

(Paulinho Moska)

Vamos começar
Colocando um ponto final
Pelo menos já é um sinal
De que tudo na vida tem fim
/
Vamos acordar
Hoje tem um sol diferente no céu
Gargalhando no seu carrossel
Gritando nada é tão triste assim
/
É tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos
/
Vamos celebrar
Nossa própria maneira de ser
Essa luz que acabou de nascer
Quando aquela de trás apagou
/
E vamos terminar
Inventando uma nova canção
Nem que seja uma outra versão
Pra tentar entender que acabou
/
Mas é tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos
/
/
E que seja tudo novo... De novo...
Abraço!