terça-feira, 31 de março de 2009

Parabéns... Um ontem... Pleno de amanhãs...

Ontem uma pessoa, que aprendi a gostar, alcançou mais uma estação...


Pensei muito em como homenagear alguém que tanto quero ver sorrir...

Confesso, não consegui...


Acho que ele já sabe o que lhe desejo, o quanto o quero bem, feliz, o quanto prezo seu sorriso e torço por suas vitórias...

Quinta, quem sabe, eu possa lhe dar um abraço...

Presente? Se eu comprei? Quem sabe... (Se ele não fosse tão "ranzinza" talvez fosse buscá-los... Mas... rs)

Amigo, não consegui escrever algo especial pra ti... Trouxe algo que considero especial para que teus olhos se alegrem... (Um dia te escrevo algo "a altura"... rs... Vixe, vai ser letra pra não acabar mais... kkkkk)

"Para ser grande, sê inteiro:
Nada teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa.

Põe quant
o és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda brilha,

Porque alta vive"


(Fernando Pessoa)

Parabéns!

Menino Héroi...
Menino grande...
Menino intrigante...
Menino de alma boa...
Alma de Menino instigante...

(Fabrine)

Ps: "Alguém" manda dizer ao "Avatar"...

"Parabéns..."
(O resto não pode ser dito aqui... rs)

Auto-entrevista... (mais uma brincadeira copiada da net...kkk)


01. Uma frase: "Dinheiro eu não tenho benzinho, mas carinho eu sei fazer até demais..."
02. Uma banda: Engenheiros do Hawaii
03. Uma pessoa: Hoje eu diria... Hum... Hatake...(mas por motivos de auto conhecimento...rs)
04. Uma flor: Gérbera...
05. Uma roupa: Hoje, vestidos....
06. Um sentimento: Carinho...
07. Um animal: Cachorro...
08. Um gesto: Acarinhar a face....
09. Um lugar: Meu quarto...
10. Um objeto: Livro...
11. Um veneno: Instinto...
12. Uma arma: Amor..
13. Um programa: Provocações (TVE)
14. Um horário: Madrugada
15. Um verbo: Viver...
16. Um ídolo: Vínicius de Morais
17. Um dia: Quinta...
18. Um barulho: Água corrente...
19. Um calçado: Sandália...
20. Um número: 2...
21. Uma bebida: Suco...
22. Uma comida: Arroz...
23. Uma mobília: Cama...
24. Um meio de comunicação: Computador...
25. Um doce: Chocolate...
26. Uma pergunta: Como você está?
27. Um pedido: Sorria...
28. Uma mania: Cuidar de tudo e todos...
29. Um personagem: Peter Pan...
30. Um perfume: Portinari... para eles...
31. Uma jóia: Brincos...
32. Uma estação: Outono...
33. Uma fruta: Banana...
34. Uma música: Basta ouvir seu coração - Mauricio Maniere e Ivan Lins...
35. Um sonho: Família, família, família... E dali 2013... kkkkk...
36. Um filme: Sociedade dos poetas mortos...
37. Um cheiro: O dele... (que ainda não consegui guardar... O que ainda sentirei... O que ainda guardarei... rs)
- - -


01. Dia/Noite? - noite
02. Cego/Surdo? - cego
03. Amor/Paixão? - paixão
04. Pôr/Nascer do sol? - pôr
05. Verão/Inverno? - inverno
06. Conforto/Aventura? conforto
07. Piscina/Oceano? - oceano
08. Bolo/Torta - torta
09. Manteiga/Requeijão? - requeijão
10. Ouro/Prata? - prata
11. Diamantes/Pérolas? - pérolas
12. Banho de Chuveiro/Banheira? - chuveiro
13. Fogo/Água? - fogo
14. Tv/Cinema? - cinema
15. Filme/Novela? - filme
16. Sair/Ficar em casa? ficar em casa
17. Preto/Branco? - preto
18. Velho/Novo? Intermediário... kkkkk
19. Café/Chá? Café (indubitavelmente... kkk)

- - -

Você já?

01. Saiu em público de pijama?: Já....
02. Chorou por algo bobo? Pq? : Muito... Pq eu sou a emoção transbordando...rs
03. Chorou em um filme?Qual? : Em muitos... Amor além da vida...
04. Fez algo idiota para chamar a atenção de alguém? O que? : kkkkkkk... Estou fazendo... Mas idiotia não chama a atenção dele... kkkk... Melhor descobrir uma nova tática... kkkkk
06. Guardou um segredo? : Muitos...
07. Atuou em um palco? : Sim, mas prefiro escrever para que encenem... (já fiz isso algumas vezes...)
08. Teve um amigo imaginário? : Ainda tenho... kkkkk
09. Colocou fogo em alguma parte do corpo? : Não no sentido literal... kkkkkkkkkkk
10. Escreveu para alguém famoso? : Não... Boa ideia essa... Hum...
11. Jogou pedras em um cabo telefônico? : Não lembro...
12. Andou de avião? : Não... Ainda... rs
13. Caiu de uma Árvore?: Já... De algumas...rs
14. Caiu na frente de todos?: Já... rs...
15. Fez algo que se arrependeu muito? O que?: Na verdade, tenho me arrependido de coisas que deixei de fazer...rs
16. Se sentiu estúpido?: Simmmmmm... Agora estou me sentindo também...kkkkk
17. Pensou que ia morrer?: Sim, e não foi uma sensação boa...

- - -

Você se acha:

01. Um bom ouvinte?: Sim...
02. Uma boa companhia?: Nem sempre...
03. Uma pessoa feliz?: Caminhando pra isso...
04. Uma pessoa com os pés no chão?: Não... Nunca quis meus pés ao solo... Sempre sonhando, voando, divagando... Ando... ando... Ando...
05. Bonito(a)?: Não...
06. Um bom amigo?: Sim... Rara, por assim dizer... (Tenho poucos amigos, mas os que tenho me tem integralmente...)
07. Um bom conselheiro?: Alguém que tem exemplos... Pq viveu muita coisa... Talvez sim, boa conselheira... Melhor ouvinte...

- - -

Você acredita:

01. Em você?: Melhor, na minha intuição...
02. Em seus amigos?: Sim...
03. Em seus familiares?: Em alguns poucos.
04. Em ET?: Ainda não sei...rs...
05. Em monstro debaixo da cama?: Não.. kkkkkk (minha mente viajou nesta pergunta... kkkkkkkkk)
06. Um por todos e todos por um?: Deveria ser assim...
07. No governo?: No de agora, sim...
08. Poderes psicológicos?: Sim...
09. Espíritos?: Sim...
10. No verdadeiro amor?: No fraternal sim...
11. Na verdadeira amizade?: Acredito...
12. Em dinossauros?: Ué, eu vejo os Flinstons... kkkkk
13. Em Adão e Eva?: Melhor não comentar... kkkkk
14. Em mágica?: Eu acredito em muitas coisas... kkkkk
15. Em amor a primeira vista?: Sim, não e talvez... kkkkkk
16. Em bruxas?: Sim...
17. Em destino?: Sim...

- - -

Você:

18. Esta de olho em alguém?: kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Prefiro não comentar...
19. Esta namorando/ficando/de rolo?: Kkkkkkkkkkkkkkkk....
20. Você tem uma linha da vida?: Nas mãos, como todos...rs
21. Gosta de dançar?: Muito...
22. Gosta de estudar?: "As veiz"...
23. é feliz?: Ainda não sei...
24. Esta com fome?: Simmmmmmmmm... Vou atacar a geladeira daqui a pouco...rs
25. Esta apaixonado(a)?: Estou...(Por quem? Segredoooooo... kkkk)
26. Esta sendo correspondido?: Hum... Não... Sim... Talvez... Quem sabe... Sei lá... Nem quero saber mesmo... rs... Por uma parte sim... Pq também me apaixonei por mim... kkkkkkk
27. Sente ciúmes de quem?: Do que me é caro... (um anel de diamantes, por exemplo... kkkkkkkk)
28. Pede conselhos a quem?: A mim...
29. Sente saudades do que?: Do meu vô... De mim... Dele...
30. Dorme com bichinhos de pelúcia?: Algumas vezes sim... Tenho o Jamaíca, o Juqinha, O yuki, a Sophie, o Anael, a Fiona... Se fosse dormir com todos eles eu teria que ir dormir no sofá... kkkk E olha que minha cama é de casal... kkkkk
31. Chora com quem?: Com o silêncio...

(Copiado de: http://almadomeusonho.blogger.com.br)

segunda-feira, 30 de março de 2009

Uma grande lição...


Você conhece a lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees?

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.

O filho se senta sozinho no topo de uma montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.

Ele não pode gritar por socorro para ninguém.

Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.

Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.

O menino está naturalmente amedrontado.

Ele pode ouvir toda espécie de barulho.

Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.

Talvez alguns humanos possam feri-lo.

Os insetos e cobras podem vir picá-lo.

Ele pode estar com frio, fome e sede.

O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda.

Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.

Finalmente...

Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.

Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.

Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.


Nós também nunca estamos sozinhos!

Mesmo quando não percebemos, Deus está olhando por nós, 'sentado ao nosso lado'.

Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.

Se você gostou desta história, repasse-a.

E evite tirar a sua venda antes do amanhecer...


Moral da história:

Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele nao esteja com você.

Nós precisamos caminhar pela fé, não com a nossa visão material.

Enfim... Hora de dizer certas coisas...


Neste ano que se iniciou a pouco tempo tive a oportunidade de buscar respostas para tantas perguntas que permearam a minha vida por anos a fio...

Quando nos vemos de frente com uma situação difícil que acontece com a gente é como se nos perdessêmos no olho de um furacão... Quando a situação é com outra pessoa sempre buscamos respostas para poder auxiliar na resolução do tal problema... Olhar de fora é sempre uma visão mais "panorâmica"... Aí você se pega buscando desenfreadamente as ferramentas para suprir a necessidade daquele que sofre... Ai, ai... Mas já repararam o quanto crescemos com isso?

Isso aconteceu comigo... Ou melhor, isso está acontecendo comigo...

Nunca tive uma visão ampla de mim... Sempre me vi de forma limitada... Também nunca tive acesso a ninguém que se parecesse comigo (sou uma pessoa bem atípica...rs), daí so via o que estava ao alcance dos olhos... No máximo o que via refletido no espelho... O envolucro, a casca, a carne... O íntimo não via... Faltava encontrar alguém que se parecesse comigo, alguém que me fizesse enxergar as coisas... Me ver refletida, no íntimo, em outro alguém... Eis que a vida colocou uma "cópia" de mim alí, na frente dos meus olhos (kkkkkk e eu vi...kkkk... como vi...rs)...

Não achava que existisse alguém "problematizado" (kkkk) como eu solto por aí... Que bom que me enganei... (Rs... Afinal, sou um caso para estudo... kkkk... Se eu não existisse alguém me inventaria... kkkk... Como sou mais velha que minha "cópia", acho que devo ser melhor que ela... Kkkkkk... Ao menos agora eu sou "humilde"...kkkkkkkkk... Esta foi a maior de todas... kkkkkkkkkkkkkkkk...)

Sim, claro, o ser que encontrei tinha "problemas" (é meu clone, ow...rs) e eu sentia cada dor, cada cárcere, cada situação que ele vivia... (eu ria e pensava: Como pode ser tão eu????...rs) E como não consigo ficar indiferente ao outro, busquei forças em mim para tentar fortalecê-lo... Mas lembram que somos "quase" iguais? Eu não tinha muitas das respostas que ele buscava... Então o que fiz? Arregacei as mangas e fui buscar as ditas respostas...

Touchê!!!! No afã de acalmar a inquietação alheia acabei por aquietar minhas próprias angústias... (Lembrem-se: Só podemos dar o que temos...)

Lidar com as arestas do outro (culpas, recolhimento, solidão, raiva, dor, sofrimento, distanciamento... Eu daria um nome a isso mas não é o caso agora), fui aparando minhas próprias arestas... Enxergando o quanto de mal eu me incutia involuntariamente...

Quanta bobagem... Quanto tempo jogado fora...

Muitas respostas eu citarei com o tempo, mas uma em especial me fez passar por vários estágios... A culpa...

Passei por muita coisa nesta vida e me culpava por tudo... Por querer, por ser, por nascer, por fazer sofrer, por causar dor, por fazer amar, por fazer amor, por tudo... Eu me culpava mesmo sem saber o motivo da culpa... Tudo era minha culpa... Nasceu o sol? Culpa minha... Choveu? Culpa minha... Nevou? Culpa minha... Alguém chorou? Fui euuuuu... Não importava o quê, tudo era minha culpa... Preferia viver escondida, isolada, assim eu não poderia ferir ninguém...

Sempre ouvia alguém dizer: Você tá sumida menina... E eu sempre dizia: Nada, eu tô por aí... Mas nunca estava... Era lá, no meu calabouço que eu estava... Eu, meus fantasmas, uns amigos imaginários, um tanto de tédio e um vazio que não parava de crescer... Eu sempre dizia as pessoas: Não se apeguem a mim, tudo que eu toco vira cinza... Sou o avesso do alquimista... Destruo tudo que toco... (Quanto egoísmo...)

E assim passei muitos anos da minha vida... Engolindo sapos, ruminando as emoções, esmagando os sentimentos... Afastando tudo e todos de mim... Me negando a chance de descobrir coisas novas, pessoas novas, de viver novas experiências e crescer com elas...

Quando eu gostava de alguém preferia ver este alguém longe, gostando de outro alguém, assim seria feliz... Eu não seria capaz de fazer isso... Eu era sempre um instrumento de dor, não de felicidade...

Complexa essa mente não? Mas nada que não pudesse ser piorado...

Um dia eu li um texto que dizia que somos únicos... INSUBSTITUÍVEIS... Aí eu disse isso a minha mãe, que eu era insubstituível... (Eu tava tão feliz com aquela descoberta) E ela disse: Ninguém é insubstituível, se você morrer eu coloco outra pessoa em seu lugar...

Nooooooooossssssaaaaaa... Essa doeu... Daí eu pensei: A culpa é minha dela sentir isso... Por que eu tive que nascer? Eu trouxe sofrimento pra pessoa que me deu a vida... Eu sou um anjo ruim... Sou o mal...

Nunca mais eu saí de mim... Foi como a história do elefante... A corrente ficou no meu pé...

Eu cresci mas nunca consegui tirar aquele peso que me prendia...

O tempo passou... Eu aprendi a amar alguém... Um homem... Casei com ele... Um dia, num acesso de raiva, ele me disse: Falo com você pra que tenha a doce ilusão que você existe...

Essa doeu também... Nem te conto o quanto...

Era ali, o homem que eu escolhi para amar, que me cravou um punhal no coração... Me faltou ar, chão, força, coragem... Só me restou a escuridão... As duas pessoas que eu amava me feriram... Ah, mas eu que fiz eles reagirem assim... ERA MINHA CULPA...

E sabe o que aconteceu? Nunca mais eu quis estar perto de ninguém, me iludir, me enganar... Todo mundo que eu gostava me machucava e eu podia fazer as pessoas, que "imaginavam" gostar de mim, sofrerem também... Isso eu não aceitaria...

Ah, mas não se iluda, no fundo eu tinha medo mesmo era de gostar de novo e bater com a cara na porta... Me ferir de novo... Daí eu usava a armadura da "pseudo-responsabilidade" pelos sentimentos alheios para cobrir o meu medo...

Tive a minha vida estraçalhada por um estupro... Não, não foi ele que me violentou, fui eu quem não fui forte pra fugir... A culpa foi minha... Engravidei... Claro, minha culpa... Tive complicações antes, durante e depois do parto... Claro, eu era culpada por "brincar de bonecos e não de bonecas" como me fizera lembrar o médico, a enfermeira e todas as outras pessoas...

Fui apontada nas ruas, perdi o pouco de chão que tinha, envergonhei minha mãe, manchei o nome da minha família... Claro, eu era o mal... (isso aconteceu antes das observações citadas acima... Antes do que disse minha mãe, antes do meu "casamento")...

Eu tinha medo de tudo, de todos, do mundo... Mas era minha culpa...

Eu era a menina "fácil", aquela que "não pode esconder nada"... Que não tem mais "nada a perder"...

Quem mandou eu nascer????

Cresci me sentindo o lixo, o estrume, o sei lá o que do universo...

Não quis mais amigos... Amores... Eu hein?! Fazer os outros sofrerem? JAMAIS...

Eu potencializava tudo... Quando alguém dizia: "Gosto de você!" Era como se pegasse minhas feridas e abrissem de novo... Não, não pode ser... Você tem que sair de perto de mim... Ninguém pode gostar de mim... Eu vou te ferir, vou te machucar e vou sofrer com teu sofrimento...

Quanta balela... Eu não queria era me ferir...

Você já viu o filme "Jimmy bolha"? Assim eu me fiz...

Eu lia, me informava, escrevia, mas não podia compartilhar... E se alguém me enxergasse? Era correr risco demais...

Não deu outra... Fui me isolando... Isolando... isolando... Até que não dava mais pra voltar atrás...

Minha filha foi arrancada de mim... E eu, que não tive direito sobre minha virgindade, meus sonhos, meu casamento, minha gravidez (pois era sempre minha mãe que dizia o que eu estava sentindo aos médicos, sempre ela que escolhia as roupas, até o nome ela escolheu, mesmo eu já tendo escolhido outro... Depois tomou a guarda na justiça, me tirou o direito de educá-la... "Você não sabe nem se educar, como educará uma criança?"), não tive mais direito a escolher muita coisa... Então melhor matar meus anseios mesmo... Pra quê me iludir? Eu era o mal... A culpa era minha...

Perdi o homem que amei... Novamente levaram parte de mim... Mas eu não podia competir com seu sonho de ser pai... Eu não podia tirar dele o direito que também fora arrancado de mim... Era fazer mal a quem eu mais amava... Era personificar o mal... Melhor que eu sofra a fazer alguém sofrer... Engolir o sapo e seguir...

Assim eu me excluí do mundo...

Fui morar num lugar inóspito, topei um serviço duro, tipo "serviço de macho" (rs), Longe da civilização... Até que achei alí algumas respostas... Mas nada é perfeito...(rs)

Eu queria ser jornalista, mas não podia deixar minha família decepcionada por eu perder no vestibular... Fiz a opção: Agronomia... Desisti assim que passei... Resolvi topar o "serviço" citado acima... Venci os preconceitos e dei conta da tarefa a contento... Mas chegou o começo das aulas... "Você vai... Não quero ser culpada por suas frustrações"... Disse minha mãe... E eu lá tinha direito de escolher? E se ela colocasse alguém em meu lugar? E se ela me odiasse mais ainda por não ir? Fui...

Senti tanta dor... Tanta, tanta, tanta... E sem um ouvido conhecido, sem nenhum ombro amigo... Era eu, o frio e a missão: Não decepcionar mais ninguém... Só a mim... Mas eu merecia... Eu era o mal...

Mas ainda pode piorar... (Vixiii... Que novela mexicana é essa???? kkkkk)

Minha filha cresceu... Começou a moldar sua personalidade e se perdeu na vida... Seguiu por um caminho de escuridão... Meu bebê... Meu pedaço... Aquela que eu tanto amei mas que nunca quis machucar... Ela não era pra mim... Não merecia o mal que eu podia proporcionar... Eu sempre deixava ela saber... "Maezinha... Te amo viu?! Sou sua amiga...Não esqueça"... Ela esqueceu... preferiu o mundo negro a mim... Eu amei tanto aquele ser... Era linda... Uma bonequinha... Cabelos negros, lisos, com cachinhos na ponta... Era a minha menina... Mas eu não podia machucar ela...

O mundo também me consumiu, me abateu, me derrubou... Mas eu merecia...

Sofria com tudo... Se sorrissem, se chorassem, Tudo era minha culpa... E eu sofria mais ainda...

Nada que não possa piorar...

Tentei proteger minha cria e ouvi com todos os sonoros "erres" e "esses"... "Eu te odeio, não olha mais pra mim, não fala mais comigo"... Isso no último dia do ano passado... Depois de saber que ela estava na estrada escura... Meu coração, ou o que ainda restava dele, espatifou... Até a minha filha, que eu tanto amava, me odiava... EU ERA O MAL...

Eu entrei numa espécie de coma... Num casulo... Terminei de me sufocar...

Mas o ano novo me trouxe uma surpresa... Encontrei alguém que não me viu como o mal... E eu sorri... Ah, mais cedo ou mais tarde, eu lhe farei mal também... Melhor dizer logo quem sou e sumir... Não mereço nada de bom... Assim o fiz... Fugi...

É, mas existe mesmo um motivo pra tudo... Ele passou por uma situação difícil e eu tentei ajudar... Mas eu só tinha o mal, Como poderia fazer o bem? Eu tentei... Com todas as forças de mim... Quando ele disse: "Eu nunca amei ninguém além de meu avô e meu filho... E perdi ambos"... Meu mundo foi ao chão... (Ah, também amava muito meu avô e o perdi... Coisa que fez com que eu me identificasse um pouco mais com esse "alguém")

Eu sofri junto... O meu sofrimento... Não estava perdendo minha filha pra morte, mas sim pra vida... Isso doia mais... Por que não era "fatalidade", era dor voluntária... Cada mensagem que eu mandava pra ele era como se eu mandasse pra mim... E eu aprendia... E me fortalecia... E seguia mais um pouco... Meu coração amoleceu... De repente eu poderia estar achando a cura... E eu quis ajudar mais, pois eu me ajudava também...

Nada é perfeito... (rs... tô me sentindo O Josepher Klimber... "Mas a vida, a vida é uma caixinha de supresas"... Rs)

Eu me deixei levar... E pela primeira vez quis me testar... Deixei que ele me visse, que enxergasse o que ninguém jamais viu em mim... De certa forma eu me fazia melhor pra ele... Não, era pra mim que me fazia bem...

Ele criou resistência a mim... Normal, eu também criaria se uma doida aparecesse na minha vida e disesse: Ei, eu sei o que você sente... Sou igual a você... Me deixa te ajudar... (afinal eu já tinha passado por algumas coisas a mais... Poderia amenizar a culpa...)

Eu venho aprendendo tanto estudando as atitudes, as culpas, o isolamento dele... Por que sei que somos muito gêmeos e, buscando resposta para o que se passa com ele, eu me descubro, me ajusto e me equilibro...

"Mas a vida, a vida é uma caixinha de surpresas"... (kkkkk)

Ele se culpa por achar que me fez apaixonar e que vou sofrer, por que ele é mal... (A história se repete????)

Agora entendo quanto tempo eu perdi me culpando... As pessoas podem crescer com nossos exemplos, com aquilo que julgamos ser "o mal"... E nós, "egoístas que somos", preferimos o isolamento a permitir o crescimento do outro...

Eu criei uma coragem incrível e o chamei pra sair... (kkkk... Quem me conhece sabe que eu sou difícil de admitir que quero uma pessoa perto... Ainda mais alguém tão parecido, que pode imaginar, e advinhar, minhas reações...) Ele disse não... Mas eu queria poder dizer o quanto ele me fez bem... Ahaaaaaaaa... Mas quem me conhece também sabe o quanto eu sou teimosa (kkkkk)... Eu insisti, insisti e insisti... Um dia ele me concedeu uns minutos... Eu tremia, suava frio... Também pudera, era praticamente, eu de frente pra mim... rs... Não consegui dizer o que queria... Insisti, mas ele não permitiu aproximação... E sabe o que aconteceu? Continuei estudando as reações dele e crescendo, e mudando, e me fortalecendo... Puxa, como encontrar esta criatura me fez bem... Se ele imaginasse o quanto, jamais sentiria culpa mas sim um grande prazer por me colher no jardim das sombras...

Aprendo cada dia um piuco mais, vivo cada dia como uma criança que descobre que pode caminhar com suas próprias pernas...

Não, eu não sou o mal... Eu interpretei mal...

Quanta gente me disse da importância que tive nos poucos momentos em que estive presente... Pude rever tanta gente, tantas revelações foram feitas... Eu voltei a escrever... Estou descobrindo que tenho um lado tão bom... Que coisa maravilhosa é isso...

Foi como se tivessem tirado um prédio de 70 andares de minhas costas... LITERALMENTE...

Caminhar é preciso... Assim como viver...

E eu estou caminhando...

Hoje eu gostaria de agradecer a este "menino héroi" que me ajudou mesmo sem saber, mesmo sem querer saber... Nunca poderei agradecer por completo... Ah, e como eu queria poder devolver o bem que me fez... Eu aprendo pra te responder... Pena nunca poder dizer... Mas como disse, sou teimosa (rs), um dia eu consigo segurar tua mão e te ajudar a seguir... Não posso deixar que você perca o tempo que perdi...

Não sei definir o que sinto por ele, se é físico, emocional, se é apenas gratidão, carinho, vontade de me libertar nele também, mas não me importo em definir... Sentir é o que importa... Mesmo que eu nunca consiga definir... Na verdade, nem quero... Rs...

Como disse a canção que postei antes de me sentar aqui pra escrever esta "enciclopédia" (kkkkk... Praticamente a vida de "Maria do Bairro"... kkkkkk)...

"Não foi tua culpa,
que não te enganem com isso.
Não foi tua culpa.
Liberta-te deste peso.
Não te tortures,
pensando que mal tens feito,
se Deus não te acusa,
ninguém mais tem o direito.

Tens mais uma chance, de ser feliz,
ainda podes dizer ao amor...
Que Sim!
Que Sim!"

Hoje me sinto livre de verdade... E o mal que tentaram me incutir não conseguirá voltar a me permear...

No seminário que fui no sábado o palestrante disse: "O sofrimento não suporta quando o descobrimos... Ele foge... Porque só somos vítimas até o momento que não damos conta disso"... Eu me dei conta... O sofrimento fugiu... A liberdade agora lambe as chagas dos meus pés feridos...

Eu estou aprendendo a não sentir culpa... A não me diminuir... Quiçá reaprendendo a amar... Não a um ser exterior, mas a mim... Não, não posso ainda amar o próximo... O Mestre disse: "Ama teu próximo como a ti mesmo"... Estou aprendendo a me amar, depois eu poderei amar...

Contaram-me a seguinte história...

"Gandhi foi procurado por uma senhora para que disesse a seu filho para não comer açúcar, pois o mesmo adoecia quando ingeria o doce... Gandhi pediu a mulher que voltasse 15 dias depois... Ao voltarem ele disse ao menino que não comesse açúcar... A mulher questionou por que só o fizera 15 dias depois... "Por que a 15 dias eu ainda comia açúcar"...

Só podemos oferecer o que temos...
...
Estou me reconstruindo... Me descobrindo... Aprendendo a me amar...

Quem sabe um dia eu possa amar alguém...

E a vida segue...

Abraços... Muitos...


(Fabrine... Para que possa ler sempre e aprender sempre... E também para que "alguém" pare de sentir culpa... Ouça a música de Lulú Santos, "Tão bem"... Vai entender o que eu quero dizer... Se quiser aqui tá o link: http://letras.terra.com.br/lulu-santos/47143/... Obrigada, muito obrigada... Abraços e beijos... Menino e héroi...)

(Puxa... Acho que este foi o texto mais longo que já escrevi... E o mais pessoal também... Estou escrevendo a quase 5 horas... Sem parar... Aliás... Só pra tentar acalmar a dor de cabeça alheia, via conselhos no MSN... kkkk... Larararariiii... O que me resta????...kkkkkkk)

Para ler, ouvir, refletir, sentir e vivenciar...


Não Foi tua Culpa

Pe. Fábio de Melo

Nem sempre na vida,
se joga tão bem,
se destroem as coisas,
e os sonhos também.
nossos olhos se enchem de lágrimas,

lembrando o que aconteceu...

Ninguém nunca nos disse,
ou tentou ensinar,
que alguns que se amam podem se odiar,
quando não se permite
ao amor respirar,
o orgulho consegue ganhar.

Eu sei não é fácil ver desmoronar tua felicidade
num castelo de areia.
ouvir estas vozes na escuridão,
te acusando e reclamando...

Não foi tua culpa,
e não te engane com isso.
Não foi tua culpa,
Liberta-te deste peso.
Não te tortures,
pensando que mal tens feito...
se Deus não te acusa,
Ninguém mais tem o direito,
Não foi tua culpa...

Não tenha vergonha,
se queres chorar,
tens uma ferida que deve curar
e se queres olhar a diante,
o passado se deve sarar.

Eu sei não é fácil falar de perdão,
o ódio atrapalha e escurece a razão.
Já não busques culpados em teu coração,
mas um refúgio onde possas amar.

Tenha coragem, e segue lutando...
a muito por amar,
e Deus não pensa em deixar-te!
Se andam falando que a história acabou,
a verdade é outra,
apenas está começando!

Não foi tua culpa,
que não te enganem com isso.
Não foi tua culpa.
Liberta-te deste peso.
Não te tortures,
pensando que mal tens feito,
se Deus não te acusa,
ninguém mais tem o direito.

Tens mais uma chance, de ser feliz,
ainda podes dizer ao amor...
Que Sim!
Que Sim!

domingo, 29 de março de 2009

Só pra desejar...

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...


Como irrritar seus pais

♥ [1] siga-os por todo o lugar da casa.
♪ [2] diga "muu" quando te chamarem.
♥ [3] finja que tem amnésia.
♫ [4] fale com eles de costas.
♥ [5] gire e fique tonto.
♪ [6] corra pela casa com uma lâmpada nas mãos dizendo "o sol!!☼ está morrendo!!"
♥ [7] corra nas paredes.
♫ [8] cante bem alto enquanto corre pela casa apenas com roupas íntimas.
♥ [9] tenha ataques nervosos involuntariamente.
♪ [10] diga que vestir roupas é contra a sua religião.
♥ [11] finja que é um adorador do demonio.
♫ [12] fique na frente deles as 4 da manhã com um enorme sorriso e diga "bom dia brilho do sol!" ☼
♥ [13] tome fôlego bem alto quando estiver rindo e comece a rir ainda mais alto.
♪ [14] corra em círculos.
♥ [15] recite um filme inteiro 3 vezes.
♫ [16] finja que lutou contra si mesmo e se derrotou.
♥ [17] puxe um fio de cabelo de alguém e grite "DNA!!"
♪ [18] deslize por todo o lugar.
♥ [19] vista uma camiseta que diz "I'm retarded"
♫ [20] vista suas calças na cabeça e a camiseta na cintura e diga que é um novo conceito de moda.
♥ [21] tente arrumar outro jeito de beber algo de um copo.
♪ [22] cole seu dedo no nariz com super-cola.
♥ [23] fale com uma caneta.
♫ [24] tenha amigos imaginários e fale o tempo todo com eles.
♥ [25] finja ser um índio.
♪ [26] tente escalar a parede.
♥ [27] abra a janela e faça um zumbido, fingindo ser um inseto.
♫ [28] coma sorvete de casquinha, ponha a casquinha na testa e diga que é um lindo unicórnio.
♥ [29] faça o que eles te disserem.
♪ [30] fique acendendo e apagando a luz por um tempo. depois diga "aaah... entendi!"
♥ [31] coma seu cabelo.
♫ [32] coma coisas não comestíveis.
♥ [33] fique pulando, tentando voar.
♪ [34] diga que está imitando seu cachorro e siga-os pela casa.
♥ [35] segure as mãos deles e diga "I see dead people..."
♫ [36] quando tomar banho, grite "estou me afogando!!"
♥ [37] tente por a cabeça dentro de um aquário.
♪ [38] persiga uma cauda imaginaria.
♥ [39] exija uma linha telefonica própriaa menos que você já tenha.
♫ [40] grite "mentira!" pra tudo oque eles disserem.
♥ [41] finja que tem 346 anos.
♪ [42] fique de cabeça pra baixo em seu closet.
♥ [43] finja ser um telefone.
♫ [44] tente nadar no chão.

♥ [45] bata na porta deles a noite toda.
♪ [46] finja que tem multiplas personalidades.
♥ [47] finja ser a mulher-maravilha em seu avião invisível.
♫ [48] cutuque seu irmão durante uma viajem toda e diga que ele está te cutucando.

* 47 e 48: testadas e aprovadas!!

(Copiei isso na internet... kkkkk... Apenas ri demais e trouxe aqui para rirmos juntos... kkkkkkkkk... Brrrrrr...)

sábado, 28 de março de 2009

Adiando a escrita... Treinando a paciência??? Kkkkk...

Olá meu povooooo...

Então, eu quero escrever sobre tudo que eu aprendi ontem numa palestra sobre "relações interpessoais", mas tô treinando a paciência (kkkkk), daí melhor eu deixar pra escrever quando voltar do seminário que vou daqui a pouquinho (Tema: Educação dos sentimentos), daí a escrita pode melhorar significativamente... Tá, mas acho que só vou escrever na madrugada... Vou pro seminário, de lá vou pro ESDE (Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita) e só devo chegar depois das 21... Daí eu vou ver um pouco de TV, e volto, talvez, hoje ainda pra dividir tantas novidades com vocês...

(Depois de uma tonelada de "daís"...rs)

Ah, uma explicação para os menos atentos que me perguntaram se eu ia parar o blog...

Quem concebeu este blog fui eu, Fabrine, mas existe uma parte em mim que é mais forte, mais criativa, agressiva, sei lá o que mais, que denominei "Nativa"...

Somos a mesma pessoa, só que com personalidades um tanto quanto diferentes... Como se fosse o "yin e o yang", entendem? Eu poli bastante a Fabrine, c
oloquei muitos freios, tipo, coloquei na linha...rs... A Nativa eu deixei seguir solta, como um ser selvagem, que se guia, se define, se escreve...


Alguns dias eu acordo Nativa e faço o que me dá na telha, sem me preocupar com as consequências... Tipo, patinete em ladeira sabe...rs... Um trem desgovernado... kkkkk... Mas a maior parte do tempo a pessoa sensata, seguidora da razão e tal, reina em mim...

O legal seria que as duas se fundissem de verdade e se tornassem uma só, mas são um tanto "incompatíveis"...rs... Por isso alguns textos são assinados por Nativa, outros por Fabr
ine, outros não são assinados, e a vida segue...

Agora, como a um tempo atrás, a Nativa vai escrever num espaço só seu, que está sendo reformulado, e eu, continuarei aqui... Ela virá de vez em quando mas nada permanente...

Parece louco isso... E é... kkkkkk... Mas sei dissociar bem uma da outra... (quando as duas estão juntas é uma delícia... uhhhh...rs)

Adoro estar na pele dela pois é destemida, diz o que quer, o que sente, é debochada, ácida, um humor incrivelmente inquietante...rs

Por hora é isso, ela vem se despedir, mas tá ocupada pintando as paredes do seu blog...rs...


Tomara que ela consiga expressar-se com ainda mais força no se
u espaço... Ela sabe bem usar a "força" das palavras... E que força... kkkkk...

Tudo claro? Esclarecido? Entendido? Então vou correr pois o seminário começa daqui a 15 minutos e eu ainda tô aqui...rs...


Abraçoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!

...

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo… Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que a gente experimenta pela ausência das pessoas que a gente ama e que não podem mais voltar… Isto é saudade!

Solidão não é o retiro voluntário a que, muitas vezes, sem saber, a gente acaba se impondo só para realinhar os pensamentos… Isto é equilíbrio.

Não é aquela pausa obrigatória que o destino manda compulsoriamente, para que reveja a nossa vida… Isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado… Isto é apenas uma circunstância.


Solidão é muito mais que isto… Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos. E procuramos, em vão, pela nossa alma!

Chico Buarque

Tava com vontade de escrever sobre paciência e rever um pouco do post anterior... De repente...



Babei tudo... kkkkkkkkkkkkkk

Amanhã escrevo... Melhor dizendo, daqui a pouco...

Meu PC voltou para meu quarto só que eu desacostumei de ficar até tarde acordada... rs...

Abraço!!!!

sexta-feira, 27 de março de 2009

CRISE DE IDENTIDADE



“Nesta altura da vida, já não sei mais quem sou.
Na ficha do dentista, apareço como cliente.
No restaurante, sou freguês.
Quando alugo uma casa, sou inquilino.
Na condução, sou passageiro.
Nos correios, sou remetente.
Na casa do Papai, sou Filho.
Na Loja Maçônica , sou Irmão.
Na Faculdade, sou estudante.
No supermercado, sou consumidor.
Para a Receita Federal, sou contribuinte.
Com o prazo vencido, sou inadimplente,
Se não pago, sou sonegador.
Para votar, sou eleitor.
No comício, sou massa.
Em viagem, sou turista.
Na rua, caminhando, sou pedestre,
Se me atropelam, viro acidentado.
No hospital, me transformo em paciente.
Para os jornais, sou vitima.
Se compro um livro, viro leitor.
Se ligo o rádio, sou ouvinte.
Para o IBOPE, sou espectador.
No futebol, eu, que já fui torcedor, virei galera.
E, quando morrer, ninguém vai se lembrar do meu nome: vão me chamar de finado, extinto, defunto, de cujus e, em certos círculos, até de desencarnado.

E o pior: para o governo sou um imbecil.

E PENSAR QUE, NO MEU APOGEU, JÁ FUI MAIS EU.”

(Autor Desconhecido, porém, criativo e realista...KKKKK)

Outro desabafo... Ainda baseado em fatos reais...

Ok, ok...

(Sabia que ter leitores assíduos me traria problemas...)

Gente, eu não escrevo neste espaço para que seja lido e debatido comigo o que fora escrito... O que escrevi aqui, deve morrer aqui, salvo se comentado por mim em outro espaço, fora isso, por favor, deixem aqui...

São minhas sensações, minhas conclusões, o que EU preciso ler...

Hoje dois comentários distintos mexeram comigo de formas igualmente distintas...

Primeiro uma amiga me parabenizou por eu ter conseguido expressar coisas que eu sempre "engolia"... Ok, positivo isso... Levamos na esportiva e tudo seguiu...

Depois, alguém me liga e diz: "Eu li no seu blog algumas coisas que mexeram comigo... Eu, mesmo sem querer, magoei você"... Ok, aqui que eu quero chegar...

Gente, ninguém é responsável por mim não... o que eu sinto ou deixo de sentir é coisa minha... Ninguém pode me ferir além de mim... (Fala sério... Fiquei indignada...)

Eu venho a muito tempo tentando matar estas sensações em mim... De gostar de alguém, de querer envolvimento, até de desejar alguém (leia-se aqui héroi), até pedi em minhas preces que fosse arrancada de mim a capacidade de querer alguém de forma carnal, tipo paixão, amor, sei lá como queiram denominar... De repente eu me pego desejando alguém (e não pensem que eu o pedi em casamento ou coisa parecida, apenas quis que o que fora verbalizado se tornasse real) e tenho que me preocupar com o sentimento de culpa eterno do outro? (Desculpe, mas hoje a Nativa baixou em mim e eu não consigo controlar esta parte dela... De ser direta)

Caíamos na real... Você querer um "affair" com uma pessoa não significa que todas as manhãs você acorde com um gillete nas mãos tentando rasgar os pulsos... Querer alguém é coisa simples, deve ser uma sensação boa, sem contar que, querer alguém, não tem que significar sempre que este alguém tem que querer você também uai... Seria esse o principio do abismo, se todas as paixões fossem correspondidas... Eu hein... (RS)

Agora falando mais sério ainda... Como o ser humano é complexado... Eu hein... Culpas nos paralisam... quem não quer se ferir que viva numa bolha... Exemplo: A gripe é um saco, e como é que se pega gripe? Ah, fala sério, para de respirar então... (Meu pai eterno, que veneno agora... Rs...)

Paulo Coelho disse em alguns livros e em seu blog:

"Felicidade: chorar ou rir?

Muita gente tem medo da felicidade. Para essas pessoas, essa palavra significa mudar uma série de hábitos … e perder sua própria identidade.

Muitas vezes nos julgamos indignos das coisas boas que acontecem conosco. Não aceitamos, porque aceitá-las nos dá a sensação de que estamos devendo alguma coisa a Deus.

Pensamos: “é melhor não provar o cálice da alegria, porque quando este nos faltar iremos sofrer muito”.

Por medo de diminuir, deixamos de crescer. Por medo de chorar, deixamos de rir."

Chega gente de se sentirem responsáveis por mim... Eu quero é intensidade mesmo... Quero me queimar, sentir vergonha, desejar, rir, chorar, VIVER... Tudo faz parte do caminhar... Eu passei minha vida inteira fugindo das coisas, das pessoas, de tudo, agora que eu não quero mais fugir, que as pessoas, coisas e situações não me amedrontam, tenho que regredir e voltar a sentir culpa disso? De sentir alguma coisa e estar magoando alguém? Pior, me sentir culpada por estar deixando alguém culpado por me fazer mal???? Oxente, isso já é complexo demais até pra esta personalidade doidivanas que me permeia...Rs...

Que seja feita a vontade de todos... Paro NOVAMENTE de escrever meus/minhas sentimentos/sensações por aqui e dissocio a Nativa da Fabrine novamente... cada uma escreverá no seu espaço... E o espaço da Nativa (esta personalidade que escreve agora aqui) vai ser secreto, para não mais ser comentado... Pra não provocar mais desconforto ou coisa parecida... Uma pena, também penso assim, mas é melhor... Ao menos até voltarmos ao esquecimento...

Deixo este desabafo (e não sinta culpa, por favor, não é essa a intenção... Sinta raiva se quiser, me xingue, esbofeteie, faça o que quiser mas NUNCA TENHA PENA DE MIM... Eu odeio quando sentem pena de mim... Isso me diminui demais... Não sou coitadinha... Me odeie se quiser, mas NUNCA SINTA PENA DE MIM... Ahhhhhh... [Isso foi um grito]) para que fique claro, de uma vez por todas, que NINGUÉM É RESPONSÁVEL POR MIM... (Leia o post que cita o Pequeno Príncipe, escrevi a pouco tempo... Só lê o que é ruim é? Ahhhhh... [Isso não foi um grito, foi apenas um bico de birra])...

Vou tentar fazer um post de despedida e deixarei vocês novamente com a minha parte mais insossa... A Fabrine... Aquela parte de mim que é politicamente correta, justa, certinha, que não fala palavrão, que pede desculpas sempre, que foge dos olhares pra não se deixar descobrir... Estas coisas... Essa parte de mim que agora escreve é sempre mais intensa, impetuosa, instigante, menos adepta a "política de boa vizinhança"... Resumindo: Aquela parte de mim que chuta o balde quando necessário... kkkkk

No mais é isso... Cuidem-se e saibam que foi um prazer escrever por aqui... Daqui a um tempo eu volto... Rs... Eu sempre volto... kkkkk...

Ah, ia esquecendo... Gosto do rosa no homem pois mostra que este já quebrou alguns paradigmas, que é menos "quadrástico" (nem me peçam pra explicar esta palavra...kkkk), que é forte e que é capaz de muito mais... Nada de desvio, apenas de maior amplitude... Mas isso eu só explico pessoalmente... Rs... Levaria horas escrevendo e não passaria o real sentido deste "gosto"... RS...

Ps: O texto de Paulo Coelho foi extraído de: http://colunas.g1.com.br/paulocoelho/2007/02/04/felicidade-chorar-ou-rir/

Beijos... (Por que abraços é coisa da minha outra personalidade... kkkkkkk... Não fique chateadinha minha linda... kkkkkk... Fá, eu adoro ser você... As vezes... kkkkkk)

quinta-feira, 26 de março de 2009

Amigo...


Sei que hoje você tá precisando de força...

Só deixei este recado pra que saiba: "Pode contar comigo!"

Força...

Abraço!

(For L.A./H.K)

Ok... Um desabafo baseado em fatos reais... (Para os que andam me achando "estranha")

Então...

Depois de pensar bastante nos últimos comentários que ouvi a meu respeito resolvi esclarecer algumas coisas...

O que será dito aqui não será dito mais em nenhum lugar... A nenhuma pessoa... Só existirá aqui...

Tenho ouvido: "Você tá triste"... "Sua alma anda sem brilho"... " sentindo que algo em você mudou"... "Você desistiu disso também?"... "Nossa, eu senti daqui (do outro lado, no MSN) que você não tá legal"... "Você melhorou fisicamente mas anda meio diferente, meio triste"... OK, melhor explicar então...

Já disse aqui (apesar de saber que nem todo mundo lê este espaço) que o que me falta também é o que me sufoca...

Tenho em mim uma grande quantidade de sentimentos bons, de carinho, de tantas coisas boas (e más também, não se iluda...rs), que me sufoca não ter pra quem doar... Eu preciso de atenção, de cuidado, de carinho (essas coisas que todo mortal sonha e precisa ter)... Faço por meus amigos aquilo que gostaria que fizessem por mim... (Ou alguém achou que eu era a Madre Teresa?) Eu ligo, procuro saber como está, choro e rio junto, brinco, mando cartas, bilhetes, presentes, mas nada do que eu também não goste de receber... (Não, isso não é uma cobrança, é só um desabafo...)

Já faz um tempinho que venho me sentindo presa, meio inútil, como se algo em mim estivesse sufocando, sufocando, sufocando, beirando o fim...

Admito, ando me sentindo mais só do que gostaria também... (Nossa... Confessei isso? Que avanço...rs)

Meu mundo anda meio bagunçado... De repente eu tive que lidar com coisas que nunca tinha lidado antes... Raiva, ódio, vícios (alheios.. meus...), contravenções (calma, não fiz nada de errado), fofocas, morte, exposição desnecessária, angústia por não poder mudar essas e outras coisas... Ahhhhh... Quem não pira desse jeito?

Passei a sentir raiva de alguém que eu não posso, com isso sofri condenações por parte de alguns... Não consigo esconder o que sinto e todos me percebem... "Você não pode sentir isso, é imoral, é contra as Leis do Universo"... Dane-se... Alguém, por acaso, pensou em como isso também dói em mim? Ver tudo que você construiu jogado na lama... E pior, saber que foi você quem originou tudo isso??? Não paguei pelo erro o suficiente? Ter minha vida estilhaçada não bastou? Terei que pagar eternamente por isso? E ouvir que a outra parte também me odeia, não dói não? Ah, faça-me o favor... Pelo amor da margarina light, ?

Errei muito na vida mas construí uma personalidade diferente de tudo que foi "projetado" pra mim... Poderia ter feito barbaridades, ter maculado a minha família ainda mais... Só que uma vergonha foi o suficiente pra me colocar no caminho reto... Não é justo pagar de novo pelo mesmo erro... NÃOOOOO...

Sem contar as outras coisas...

Tipo: Acho que aprendi a gostar de alguém, que quis este alguém, e falei que queria... E bah, tomei uma porta na cara... (Chato não, uma vergonha sem tamanho...)

Tem mais...

vendo um amigo sofrendo por que perdeu uma "parte" importante de si e não consigo nem chegar perto (ele não deixa, por que confunde as coisas)... Tinha vontade apenas de abraçá-lo e deixar que chorasse... Que soubesse que entendo a sua dor, que senti junto, que... Ah, sei lá... Mas não consigo nem chegar perto... Ele é arredio e acho que eu fui invasiva demais... Puxa, eu só queria ajudar e "melei" tudo... (Again)

Queria poder devolver os "números ímpares" a minha amiga querida... Ela tão forte, tão guerreira... Me dá vontade de pegar a arrancar minhas pernas e colar nela... "Toma amiga, vai..." Mas o que eu posso fazer???? NADA... Eu sinto vontade de abraçar ela e dizer que estou aqui, que pode contar comigo, mas eu só consigo sentar e falar bobagens... Saio da casa dela mais forte sempre, pois vejo quão pequena eu sou diante da luz que ela emana...

Sinto vontade de trazer minha família pra perto, de dizer a minha mãe o quanto a amo, o quanto me dói vê-la sofrendo por males que não lhe pertencem...

Queria devolver a vida do meu irmão... Fazer com que ele não tivesse mais receio de sair nas ruas... Que tudo fosse como antes...

Queria que minha irmã soubesse o quanto eu me orgulho dela...

Queria que meu "Bolotinha" soubesse o quanto de vida ele me devolveu...

Queria que Deny soubesse que cresci e que, hoje, eu o amo como um primo... Alguém que amei muito como mulher mas que hoje o sentimento seguiu por outra direção...

Queria que Lis soubesse o quanto eu queria estar ao lado dela na hora da cirurgia... Que ouvir ela dizer "liguei só pra ouvir sua voz", me fez sentir ainda mais por não poder estar junto...

Queria que todo mundo soubesse que existe uma criança em mim que não cresce... Que grita... Que tem sentimentos... E que ama mais do que pode suportar...

Alguns vão se assustar com o que lerem aqui, vão ligar e achar que eu maluca... Não, não estou...

Quero sair deste mundo que formei ao meu redor... Esta muralha que me prende... Erguida pelas minhas mãos...

Não, não é liberdade isso... Isso é isolamento... Solidão...

Muitos pensam como eu penso e acham que viver no seu mundo e rechaçar os outros é melhor... O nome disso, meus caros, é covardia...

Eu aprendi muito nesta vida... Sofri muito também, mas tirei belas lições do sofrimento... A única coisa que ainda não aprendi é compartilhar... Eu sei fazer parte do mundo das pessoas mas não sei deixar que façam parte do meu...

Detesto sair de casa, pior é receber gente em casa... Convidar alguém pra sair??? Bah... IMPOSSÍVEL... Meu mundo é meu... Só meu...

Sempre sonhei colocar na porta do meu quarto uma placa: "Não ultrapasse... Cão feroz"...

Mas sabe o que ganhei com isso? Sábados e domingos entediantes, solitários, um laço quase umbilical com o computador e uma ínfima capacidade de me deixar perceber...

O pior de tudo é que eu sei que sou uma pessoa boa, bacana e que muitos adorariam ver o quanto isso é verdade... Mas não consigo permitir... Aceito bem uma pancada mas não assimilo bem os elogios...

Em suma: Estou apenas me "metaforseando"... Tentando sair do casulo... Quem sabe um dia eu vire até borboleta...

Não se preocupem, estou bem... Dentro do que é possível ser neste momento... Melhor do que estar bem eu estou forte... Isso é que me faz seguir em frente...

Torçam por mim e, se sentirem vontade, ao me ver me abracem...

Obrigada aos que se preocuparam, que leram, que lêem, que apenas sabem que eu existo... Um dia a gente se vê por aí...

Abraço!

(Fabrine, apenas desabafando... Meio pirando, meio entendendo e vivendo intensamente cada sensação...Carol, relaxa, eu tô legal... Apenas estou tentando sair do mundo que criei... Obrigada por se preocupar amiga... Estou forte, acredite... Rs...)

Pérolas...


"SE O ÂNUS É MENOR QUE A BOCA, PORQUE É QUE O SUPOSITÓRIO É MAIOR QUE O COMPRIMIDO?!"

terça-feira, 24 de março de 2009

Observações sobre mim...

Bom dia...

(Uma pausa, um copo d'água, um pedaço de chocolate amargo, uma canção nostálgica e a imensa vontade de desabafar... Componentes deste momento em mim...)

Nos últimos meses minha vida tem se mostrado totalmente inconstante, acelerada, desconexa... Diria que "insana"... (Mas quem deseja mesmo a "sanidade"?)

Decidi mudar toda minha constituição... Seja a parte física, seja a intelectual... TODA minha vida de pernas pro ar...

"Fechada para reformas"...

Não combinei nada com a existência apenas pedi ao "Altíssimo" que me orientasse e guiasse pelos caminhos que meus pés precisassem trilhar...

Eis então um primeiro balanço do que (já) aconteceu...

Consegui organizar e desacelerar o pensamento... Atingindo um estágio de lucidez até então nunca experimentado (este item eu devo a "amiga azul"... Carol, estou certa? kkk)... Passei a medir as consequências dos atos diários... Meus e de outros... Experimentei sentir o sentimento alheio na sua maior intensidade... De repente passei a ver a vida por muitos ângulos, muitas perspectivas, muitos tantos outros fatores... Enfim, passei a sentir a vida... Isso é espetacular... (Experimente)

Mas não basta sentir a vida, é preciso degustá-la.. Se embriagar dela... Mesmo sabendo que existe a "ressaca moral" (como me incutiu um dos melhores "néctares" que "quase" provei)...

Senti vontade de me permitir... De deixar as coisas acontecerem... Como se o medo deixasse de existir e a "sede de vida" fosse maior que qualquer outro sentimento...

Me perdi de encantos por um jovem... Tão jovem... Tão intenso... Que me permitiu exercitar um lado meu a tanto guardado nas gavetas da vida... Me vi nele... Com todo ímpeto, ousadia e dilemas... Ah, como eu quis mergulhar na sua juventude... É, como eu, ele se esquivou... Queria mesmo que ele me permitisse embeber da sua carne... Preservaria seu espírito... Carecia (E talvez ainda careça) da sua carne... (Não... Isso nunca aconteceu comigo... Nunca permiti... Juventude como esta... Não é a lei natural das coisas...)

Depois de tudo isso passei a me ver nos olhos deste jovem...

(Ah... Ele nunca saberá... Evitei seus olhos por que me via refletida neles... E sou intensa demais...)

Passei a observar mais o meu mundo, a sentir um pouco mais da minha essência... A me degustar... Tudo homeopaticamente... Sou quase um "Coquetel Molotov"... Não posso ser sentida assim de uma só vez... É preciso um pouco de preparação pra isso acontecer...

Observei o quanto de mim se perdeu pela vida... O quanto de partes novas se agregaram a mim... Assumi características que neguei por muito tempo... Tornei a escrever... A exercitar mais as qualidades, quiçá os defeitos, que me são peculiares...

Não, ainda não li Kafka... Nem Nietzsche... (Mas ainda lerei...)

Passei apenas a me ver com outros olhos... Os mesmos olhos que sempre usei para olhar os outros seres humanos...

Agora tudo ganhou um novo significado... Como se eu começasse a viver de verdade agora...

Sei, todos os caminhos, pedras, atalhos, curvas, sorrisos, soluços, contribuíram para que eu chegasse a este momento... São as "pequenas partes deste amontoado de mim" (tenho repetido muito esta frase... Talvez esteja entendendo de verdade de quantas partes se faz uma vida)... Tudo que vivi serviu de alicerce para esta nova construção...

Como muitos sabem tive suprimida a fase da "adolescência" e pulei da infância a fase adulta, o que me causou uma infinidade de traumas e confusões... Agora eu posso dizer que estou conseguindo amadurecer... Ter consciência de mim... Do que posso, do que NÃO quero (isso sim é liberdade), do tanto que ainda falta percorrer...

É como se, ao tropeçar num obstáculo, eu encontrasse a "razão", o "motivo" que me trouxe aqui (a este planeta... nesta encarnação)...

Pode parecer complexo... E é... rs...

Estou em fase de reconstrução de mim... Uma verdadeira M E T A M O R F O S E...

Cada pedaço de mim anseia ser descoberto... E o será...

Cada um a seu tempo... Cada um de uma vez... "Passinhos de bebê"...

Volto então a citar a frase do meu maior instigador de pensamentos: "Descobrir é tudo" (Mister Red)...

Por hora vou caminhando... Seguindo... Descobrindo... Me encantando...

O que vou descobrir? Ainda não sei, mas estou adorando o caminho que me conduz a esta "deliciosa descoberta"...

Abraço!

(Fabrine... Apenas conversando consigo mesma...)