sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Continua a corrente de fé...


Minha mãe em tratamento e a corrente de fé continua...

Terça-feira teremos o veredito do médico...

Que Deus nos proteja...

Amém!

(Fabrine, em Ipiaú desde terça... Férias forçadas...)

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Quero gritar, chorar, xingar...


A vida não tá me alisando mesmo...

Me diz aí o que eu faço com minha mãe hospitalizada, tendo que amputar os dedos do pé, quiçá o pé, quiçá a perna e eu aqui sem poder ir pra lá e sem dinheiro nenhum????

Alguém pode me dar um soco no estômago para eu poder vomitar esse grito????

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Em dias de frio até pensar fica difícil...


Ai ai... Alguém aí pode POR FAVOR desligar o ar condicionado desta cidade? 

Credo, aqui só falta nevar agora... Pense num frio desgramado... Cruzes...

Algumas considerações sobre pensamentos, perguntas, vontades e comidas de saci:


  • Ando pensando em como as pessoas se preocupam com a "solidão" alheia... Kkkkk... Explico: Depois de dizer alguns "nãos" para uma pessoa (por quem até tenho um carinho considerável) achei que poderia dizer um "sim", que daria conta disso e tal, mas amarelei e vi que não tenho mesmo condições emocionais para "sims" neste momento... Daí começou uma campanha (ando me sentindo até o Flipper com o povo achando que precisa me salvar... kkk) para que eu permanecesse no "sim", afinal tá frio, eu tô só e, ao menos pra resolver isso, o "sim" vinha a calhar... Ô gente, reduziram o coitado a quê? A cobertor de orelha? Kkkkk... Não consigo tratar ninguém assim então achei melhor ir me "fingindo de morta" até ter que voltar a responder (desta vez pessoalmente)... Não sou adepta do "estar acompanhado só para não se estar só"... Espero que parem a campanha pois a "Flipper" aqui tem edredom em casa e tem a alma justa, não se permitindo "usar" ninguém...
  • Perguntas que também não param de fazer nesta cidade: Vai pro festival? Todos os dias? ......Sim, eu vou pro festival... Não, só vou no sábado...  E que Deus me proteja pra não ver o que eu não sei se aguentaria ver (AINDA)... Até comprei o passaporte mas como tá muito frio aqui acabei me limitando ao sábado e vendendo os outros dias... Respondido? (Ui que menina chata... kkkkk... Nhá!)
  • Bem, eu não sou hipócrita, nem dissimulada... Hoje eu queria chegar em casa e encontrar "ele" na minha porta... Sem dizer nada (afinal o pacto diz que não nos falaremos mais nunca, rs), apenas entrasse, me aquecesse e fim... (Eita povo curioso...kkkk) Eita que sinto falta do "calor dele"... Diacho, um pouco de calor ele bem poderia me doar... kkkk... (Ok, isso é só uma vontade e como eu sempre digo: Vontade é coisa que dá e passaaaaaaaa... Huahuahuahuahuaaa!!!)
  • Comida de Saci (essa foi a mais intrigante): Minha chefa chegou no trabalho meio desorientada pois na escola do filhinho dela pediram pra levar (ontem) "Comida de Saci" pra comemoração do 22 de agosto, dia do Folclore... Não sei vocês mas... O que seria "Comida de Saci"??? Pai do céu, o povo tem uma criatividade... Kkkkkk... Ah, ela levou pipoca... Saci deve gostar de pipoca né? Quase todo mundo gosta... 
Enfim, um monte de bobageira, que nem chegariam aqui se não fosse o frio e a falta do que fazer desta pessoa que vos escreve...

Mas um chocolate quente eu tô aceitando... Eu num sou Saci.... Kkkkkkk....

Abraço apertado, pra esquentar o friooooooo... Brrrrrr....

"Razão de ser"... (Re-postando... Adoro este texto...)

















Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece, 
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?

Paulo Leminski

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Pensando, conversando com o "Universo" e seguindo em frente...


Ontem, logo cedo, recebi uma mensagem no celular que dizia mais ou menos assim: "Preciso falar com você"... Quando o celular vibrou eu jamais imaginei que seria uma mensagem de quem foi mas quando abri gelei... Sim, era "ele"... Imediatamente respondi que não havia o que dizer nem o que ouvir... Outra mensagem e outra resposta semelhante e a "conversa" se dissipou... E fiquei pensando nisso o dia inteiro...

A noite, ao voltar do Centro, eu tremia... Como se uma tempestade tivesse me invadido... Eu sentei no chão da sala e comecei uma "conversa com Deus"...

Eu precisava entender o que estava acontecendo dentro de mim para estar daquele jeito, tão mexida, tão nervosa, tão confusa... Não ia conseguir dormir sem entender...

Chorei, pois era preciso desabafar, e consegui chegar a uma reflexão de fato...

Não, realmente eu não posso encontrar com ele, nem pra falar do Campeonato de Futebol de Botão do Suriname... Eu não tenho condições emocionais para estar perto dele, seja por qual motivo for... Sabe quando alguém está parando de beber e não pode estar perto de nenhuma bebida? Eu, mesmo racionalmente sabendo que "não, ele não quer nada mais comigo", iria acabar querendo um abraço, chegar mais perto, eu ia acabar pedindo alguma coisa, ia acabar me humilhando, rastejando e me ferindo... Eu já sei a resposta, eu já sei o que ele não sente mais, mesmo assim eu ia chorar... Quando lembro da última vez que nos falamos e dele me dizendo: "Você sempre faz isso, você sempre pede pra falar, você sempre faz esse jogo, me impede de sair e eu quero sair, me deixa"... Me vem a sensação de humilhação toda de novo... E ele tem razão... Quem sou eu pra fazer isso? Mas não consigo controlar e pra evitar outra cena deprimente (ridícula e degradante), foi melhor não permitir que a conversa acontecesse, seja lá o teor da mesma...

Queria poder deletar isso de mim e não sentir mais, e não fazer mais, e não apelar mais, e não me humilhar mais... Só tem uma saída... Advinha qual? A que sei fazer melhor: Fugir...

Um dia, quem sabe, eu espero conseguir olhar pra ele sem ter vontade de que ele fique, conseguir estar perto dele sem ter o ímpeto de pedir qualquer coisa... Um dia eu espero que possa olhar pra ele sem tremer, sem desejar, sem querer que ele volte... Por hora não consigo... A diferença agora é que sei disso, admito isso e parti para o enfrentamento... Chega de ficar submetendo o outro a cenas que ele não precisa vivenciar... Não deve ser bonito ver alguém rastejando na sua frente... Eu vi nos olhos dele a raiva que sentiu da última vez... 

Não posso mudar o que sinto num estalar de dedos mas posso não expôr mais esse sentimento de uma maneira tão vexatória...

Não é fácil lidar com o que não se consegue domar... Mas não dizem que se reconhece o "homem de bem" pelo seu esforço em vencer os maus hábitos? 

Sim, eu gostaria de saber o que ele tinha pra dizer, embora saiba que não devia ser algo muito importante (já que não temos mais "assuntos em comum")... Mas entre matar a curiosidade e me manter de pé, preferi não saber.

Vou chorar, rir, endoidecer vez ou outra, mas vou sobrevivendo, me fortalecendo e "esquecendo"... No meu tempo, do jeito que me for permitido seguir... Vou sentir falta, vou querer ver, tocar, mas um dia isso vai passar e  já não temerei mais minhas reações... 

Estou caminhando, embora não pareça... Um dia de cada vez... Como disse o poeta: 

"Só por hoje - Legião Urbana"


Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu espero conseguir
Aceitar o que passou o que virá
Só por hoje vou me lembrar que sou feliz
Hoje já sei que sou tudo que preciso ser
Não preciso me desculpar e nem te convencer
O mundo é radical
Não sei onde estou indo
Só sei que não estou perdido
Aprendi a viver um dia de cada vez
Só por hoje eu não vou me machucar
Só por hoje eu não quero me esquecer
Que há algumas pouco vinte quatro horas
Quase joguei a minha vida inteira fora
Não não não não
Viver é uma dádiva fatal!
No fim das contas ninguém sai vivo daqui mas -
Vamos com calma !
Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu não vou me destruir
Posso até ficar triste se eu quiser
É só por hoje, ao menos isso eu aprendi

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

2012, um ano 5... Tá explicado... kkkk



Ano 5




Este ano traz mudanças. Situações que estavam solidamente estabelecidas agora mudam de configuração e você tem que usar sua capacidade de adaptação para encarar os novos desafios. A inquietação, a insatisfação fazem parte deste período intenso e até instável. O inesperado pode acontecer. Isso por causa de energia que se movimenta rapidamente e provoca transformações. Você muda de idéia, tem dificuldades em fazer escolhas. Cuidado para não estragar tudo com suas atitudes impulsivas.



Meses com energia positiva: Março, Maio, Julho, Dezembro
Meses de maior desafio: Fevereiro, Abril, Agosto, Novembro

(Viu onde está o mês de agosto? kkkkk Oh, Glória!!! Kkkkk...)


Fonte:
http://aparecidaliberato.terra.com.br/materia.php?id=177

(Obs: O blog está testando meus limites no que tange a edição... Esse fundo branco, tá me tirando do sério... Affffff...)

Pra quebrar a dureza das postagens anteriores... Preste atenção nas dicas pra melhorar no trabalho... kkkkkk

AULA 1

Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair e está se enxugando. A campainha toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas. Quando ela abre a porta, vê o vizinho Nestor em pé na soleira. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Nestor diz:
– Eu lhe dou 3.000 reais se você deixar cair esta toalha!

Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Nestor então entrega a ela os 3.000 reais prometidos e vai embora.
Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e Volta para o quarto. Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro:


- Quem era?
- Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado, diz ela.
- Ótimo! Ele lhe deu os 3.000 reais que ele estava me devendo?


Conclusão: *Se você compartilha informações a tempo, você pode prevenir exposições desnecessárias*.

AULA 2

Um padre está dirigindo por uma estrada quando um vê uma freira em pé no acostamento. Ele para e oferece uma carona que a freira aceita. Ela entra no carro, cruza as pernas revelando suas lindas pernas. O padre se descontrola e quase bate com o carro. Depois de conseguir controlar o carro e evitar o acidente ele não resiste e coloca a mão na perna da freira. A freira olha para ele e diz:
- Padre, lembre-se do Salmo 129!
O padre sem graça se desculpa:
- Desculpe Irmã, a carne é fraca…
E tira a mão da perna da freira. Mais uma vez a freira diz:
- Padre, lembre-se do Salmo 129!

Chegando ao seu destino a freira agradece e, com um sorriso enigmático, desce do carro e entra no convento. Assim que chega à igreja o padre corre
Para as Escrituras para ler o Salmo 129, que diz: “Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória do paraíso”.


Conclusão: *Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, você pode perder excelentes oportunidades*.

AULA 3

Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo. Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio. O gênio diz:

- Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!
- Eu primeiro, eu primeiro – Grita um dos funcionários… – Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida…

Pufff e ele foi. O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
- Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de piña coladas!

Puff, e ele se foi..
- Agora você – diz o gênio para o gerente.
- Eu quero aqueles dois de Volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!


Conclusão: *Deixe sempre o seu chefe falar primeiro*.

AULA 4

Na África todas as manhãs o veadinho acorda sabendo que deverá conseguir correr mais do que o leão se quiser se manter vivo. Todas as manhãs o leão Acorda sabendo que deverá correr mais que o veadinho se não quiser morrer de fome.

Conclusão: *Não faz diferença se você é veadinho ou leão, quando o sol nascer você tem que começar a correr.*

AULA 5

Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada. Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:
– Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?

O corvo responde:
- Claro, porque não?

O coelho senta no chão embaixo DA árvore e relaxa. De repente uma raposa aparece e come o coelho.

Conclusão: *Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar no topo *.

AULA 6

Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas. No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras.
Ao se aproximar lentamente, observa várias belas garotas nuas se banhando na Lagoa, quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:
- Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.
O fazendeiro responde:
- Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!

Conclusão: *A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente*

(Já virou 701) Um 700 provisório... Não consegui desengasgar um texto pra colocar aqui... Substituo assim que conseguir...

Versos - Rosa de Saron

Sei que é tarde
Mas através desta, eu venho pedir uma breve oração
Já não conheço mais minha alma

Tenho saudade daqueles dias
Que o tempo passava
E ainda era abril
E eu somente sonhava

Mas é novembro e eu não percebi as flores morrendo
Agora, qual rosa eu darei à Deus?

Simples de coração, nada mais

Que ele se torne uma linda e simples decoração
Porque hoje, essa velha morada é uma triste lenda
E agora canta seus versos de arrependimento
Ouço sinos querendo soar dentro de mim
Ouço sinos soando em mim

Hoje peço que junte os dedos e faça por mim uma prece sem fim

E acordada, vele meu sono
O meu silêncio é uma nota preta num imenso papel vazio
Mas ainda é uma nota que toca, e a lágrima toca o céu
Dura uma noite
Mas no amanhecer vem a alegria


(Não sei bem o que sinto, o que me move ou o que me sustenta... Só Deus é por mim... Faça uma prece por mim se conseguir... Meu coração está "em reforma" e tudo está demolido em mim... Acho que vou escrever o 702 logo e depois volto ao 700... Mas faça a prece, por favor... Que Deus nos abençoe...)

700... Enfim...

Nos últimos 2 anos da minha vida tanta coisa aconteceu... Ai, ai...

Cortei alguns "cordões umbilicais" que me prendiam (sei, tenho só um umbigo mas este se partia em milhares..rs), tive que aprender a viver por mim (desde emocionalmente até financeiramente), descobri o amor (aquele que queima as bochechas... Ao menos em mim é assim, ops, foi), perdi minhas referências, descobri tanta coisa dentro de mim, fui visitada pela morte (coisa que nunca tinha passado antes), perdi quem amei, tive que lidar com tantas coisas, nascimentos, rejeição, tive que abrir mão de mim pra que outras pessoas pudessem ter conforto, e o pior de tudo, tive que voltar a solidão que gritava em minha alma antes de encontrar "o amor"...

Deve ser fácil pra todo mundo lidar com tudo isso sozinho, pra mim não foi, não é... Procurei ajuda e recebi (porque Deus não desampara suas ovelhas)... Muita coisa me foi dita, muita coisa eu aprendi no grito, melhor dizendo, no silêncio...

Não, a vida não está fácil aqui dentro de mim... Me vejo no meio de um turbilhão de pensamentos e fugindo deles em disparada... Não quero lembrar do passado, nem pensar no futuro... É doido entender isso, mas assim: Pensar no passado me mostra quanta coisa eu perdi, quanta coisa a vida me deu e me tirou, em como a vida me "puxou o tapete"... Cara, eu já tava acostumada a não ter coisas boas, porque me fazer passar pelo que passei e depois me mostrar que não poderia ter mais? Pra quê me mostrar coisas boas e depois me jogar de novo no calabouço de antes? E quanto a olhar pro futuro... Não consigo... Quando tento aparece a mensagem de "erro" em minha tela mental...

Não consigo entender por que todo mundo aprende e segue e eu fico aqui remoendo coisas... 

Este fim de semana eu fiquei arrumando a casa... Entrei em meu quarto, sentei em minha cama e... Uma "lembrança" me veio a mente... Tava tão frio e eu lembrei do calor que eu sentia ali... Quando eu entrava debaixo do edredom e queria pegar todos os outros cobertores da casa e ouvia: "Calma, daqui a pouco você para de sentir frio"... Eu esperava e passava... E lembrei que durmo a meses na sala, sentindo frio, com todos os cobertores da casa e só ouço o silêncio...

Se tem uma coisa que eu queria agora era o poder de apagar as coisas dentro de mim...

Eu fujo, juro que fujo das "memórias"... Quando as lágrimas resolveram cair no episódio citado ai em cima, eu levantei, fui arrumar as gavetas do guarda-roupa, tirar uns papéis e, de repente, encontro coisas de quem se foi... Achei melhor sair do quarto (outra vez)...

Sei que isso, como todo resto, vai passar, só que, enquanto não passa eu tenho que aprender a conviver com a ausência... Ausência essa que também deixará de ser sentida mas que por hora ainda corta aqui no peito como uma espada... 

Ando sentindo muita coisa em silêncio e isso tem mexido muito com meu estado de humor... 

Não sei bem como agir, além de fugir... Se é que algum dia eu soube algo além de fugir...

Nem escrever eu consigo, nem pensar eu me permito, é como se eu fosse anulando qualquer coisa que brotasse em mim...

Antes eu tinha sonhos: Casar e ter trigêmeos em 13 de junho de 2013, ter uma casa espaçosa, um amor que conseguisse vencer minha "casca grossa" (sei que existe uma pessoa bonita dentro de mim), ter um emprego bacana, ver as crianças correndo e rir abraçada com aquele que me "desvendasse e aceitasse como sou"... Sonhei tanto com isso... Agora... Não mais... Agora, a única vontade que sinto é de ir embora desta cidade, me distanciar fisicamente o máximo possível daqui, das pessoas, dos espaços, dos lugares, das sensações que esta cidade me traz...

Percebi que minha vida foi dividida em 3 grandes ciclos com uns pequenos espaços entre eles... Morei 11 anos na cidade que nasci, 11 anos na cidade seguinte, alguns meses pelo mundo, mais quase 9 anos já por aqui... Acho mesmo que está na hora de "levantar acampamento" e seguir rumo a outro "novo ciclo"... 

Sempre disse aqui (e em todos os lugares que andei) que o que me falta é também o que me sufoca... Preciso respirar um novo ar... Sentir outros medos... Outras dores que seja, mas "outros", não mais estes...

Me perdi demais... Não aprendi a lidar com perdas (será que alguém percebeu? rsrs)...

Existem sinais em mim que soam como alerta (como as bochechas dormentes quando fico com vergonha)... Quando me pego caminhando pelas ruas olhando pro chão e não pra frente, quando começo a "embruxescer" (cabelo palha, cara de boneco de vudu, entre outras coisas), quando coloco máscaras pra não parecer triste, quando a solidão me dói nos ossos... Quando não atendo o celular, quando tudo vira motivo de briga, quando respondo as coisas muito secamente... São sinais de que eu realmente preciso de colo... Que as coisas não vão bem em mim... A diferença de hoje para as outras vezes? Não consigo falar, demonstrar, pedir ajuda, nem gritar eu consigo, quiçá escrever (que é minha única válvula de escape)... 

É ruim, é insosso, é f*** isso... Meu consolo é saber que vai passar, que eu vou aprender alguma lição com isso e que, um dia eu até vou rir disso tudo (não consigo rir com Deny hoje das merdas que fizemos, da dor que senti e de como eu achava que não sobreviveria? kkkkk)... "Como todo resto isso passará", essa é minha filosofia de vida neste momento (Tá bom, umas bofetadas na cara também ajudariam a raiva a sair de mim mas não bato em mulher... kkkkkk)...

A vantagem de "conhecer a verdade" é que ela sempre nos libertará...

Estou indo bem no caminho da superação:


"De acordo com Elisabeth Klüber-Ross, perante uma catástrofe iminente, passamos por cinco fases diferentes:
Negação – a situação não é levada a sério. A dimensão do sofrimento é tal que afastamos totalmente esse cenário;

Raiva – quando finalmente tomamos consciência da situação, cresce em nós um sentimento de injustiça ("eu não mereço isto!") que provoca uma fúria que dispara em todas as direções e sentidos;

Negociação – perante a evidência de que a raiva não é solução, o instinto de sobrevivência orienta-nos para uma estratégia em que oferecemos (tudo) o que estiver ao nosso alcance para obter mais algum tempo ou condescendência de quem supostamente tem o poder (o agressor, Deus, ou o destino, para quem acreditar nestes últimos);

Depressão – falhada a negociação, entramos num estado de prostração marcada que se caracteriza pela perda de energia e de interesse por atividades habitualmente percepcionadas como agradáveis;

Aceitação  compreendemos finalmente que não há nada a fazer, encarando com resignação o que nos está reservado."


Daqui a um tempo já serão outras palavras, outros sentimentos, se Deus permitir, outro lugar (outro estado), outros 700, 600, 500, 400................

Não foi uma reflexão como eu gostaria mas foi o que deu pra fazer...

Sou forte, só estou passando por um momento de baixa, de reforma e, como toda obra que se preze, é preciso mesmo destruir tudo pra reconstruir...

Um dia eu conseguirei olhar pra trás sem dor, sem culpa, e entender o que a vida queria me provar com isso... 

Sei que vou chorar, assim como sei que vou sorrir... Tudo isso também não me ajuda a ser quem sou? Só estou tentando me refazer... 

Quando não se sabe o gosto de coisas boas e se tem uma "pequena prova" é difícil continuar sem...

Que Deus abençoe todos que sentem como eu, que eu possa juntar meus cacos e me refazer... Num já caí milhares de vezes e ainda estou aqui? Pois é, pode demorar mas as coisas vão acabar "tomando assento"... É a lei natural da vida...

Abraços e obrigada pela oportunidade de escrever 700 bobagens, 700 sentimentos, 700 desilusões e voltar aqui e ler 700 coisas sobre mim, ditas pra mim e por mim...

700 vezes viva, salves e "ypi ypi uhaaas"... 

(6 anos de mim nestes 700 pedacinhos... Taí, uma coisa que fiz e da qual me orgulho, este bloguinho...  Seis anos de blogueira, 6  anos de mim registrados em um meio público de visitação... Nem me dei conta disso... Preciso escrever mais, como no começo eu fazia... Agora sem internet em casa fica mais complicado, mas vou fazendo o que dá... Voltarei a este espaço como era antes... Adiei demais isso... Não é o blog que precisa de mim, sou eu que preciso dele... Agradeço a você "bloguinho querido verdinho" por nunca desistir de mim, mesmo com minhas neuras, meu jeito absurdo de ser, mesmo eu tendo tão pouco a oferecer... Mesmo sabendo que existem 100 postagens nos seus rascunhos kkkkk... Mesmo sabendo que eu TALVEZ nunca tenha conserto... Obrigada por deixar que eu venha aqui e despeje tudo que vem em mim, de bobagens a coisas densas... Sou mais eu aqui do que em qualquer outro lugar... Se possível fosse te daria um abraço beeeeeeeemmmm grande agora... Obrigada por me "ouvir" nestes dias tão adversos e dolorosos que venho vivendo... Muito de mim é porque você existe assim como você é muito de mim... Parabéns a nós 2 que conseguimos "estar juntos" por tanto tempo... Que venham mais milhares de posts e de anos juntos... Já que não posso dizer mais a ninguém isso digo a você: TE AMO! Até breve, até sempre meu amigo...)

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Uma explicação (suave) depois da explicação (aos berros, kkk)...



Ok, ok, vamos lá explicar (e suavizar) outra vez... (Leiam como se eu estivesse calma, e realmente estou, o tom é totalmente diferente do tom do post anterior, nem tô gritando, rs, tô falando como quando se explica algo a criança, sério...)

Gente que lê este espaço, como “berrei” no post anterior, não escrevo aqui pra contemplar ninguém, pois aqui tudo que escrevo é pra mim e ter que ficar me justificando por tudo que escrevo é chato, sejamos honestos.

PelamordiDeus, quantas vezes terei que dizer que NINGUÉM é responsável pelos meus sentimentos? Quantas vezes terei que repetir que o fato de eu gostar de alguém não implica que esta pessoa também precise gostar de mim? Quantas vezes vou ter que dizer que sou lenta, que sou atrapalhada, que a minha ficha demora a cair e que sou a única adversária de mim mesma? Quantas vezes tem que ficar claro aqui que a luta que travo com minhas neuras só dependem de mim e que se eu escrevo coisas duras, brutas e, algumas vezes, dolorosas aqui é porque se elas permanecerem dentro de mim eu enlouqueço?

Sério, eu estou curando minhas feridas, estou lutando bravamente por isso, mas em mim as coisas são assim, e quem me conhece sabe (e até quem comentou desastrosamente minha postagem sabe que eu sou assim, senão não o teria feito com tanto “talvez”), portanto não entendo porque a manifestação...

Eu só manifestei meu “momento” porque (enfim, depois de engolir tudo que os últimos meses me empurraram goela a baixo) só agora eu consegui escrever qualquer coisa sobre isso... Nem falar no assunto eu conseguia, hoje já consegui escrever, o que pra mim é uma vitória, já que mostra que tô conseguindo tirar isso de mim... É como se eu tivesse jogando fora as dores pra me preencher com coisas novas...

Infelizmente eu não quero mais saber deste sentimento que tenho ainda, nem quero ficar com a lembrança das “coisas boas”... Isso não vai me ajudar muito a esquecer... E o que eu quero mesmo é esquecer... O sentimento, a pessoa, os momentos, tudo, pois posso dizer que foi a maior puxada de tapete que tive na vida...

Tivemos bons momentos, momentos lindos até, eu diria, mas ainda dói a forma “como acabou” e não o “acabou” em si...

Hum... Acabei de perceber que ainda não consigo falar sobre isso, e não por que me emocione ou coisa parecida, mas por não saber expressar, por ter bloqueado certas coisas, o que não é bom... É meio que um dejavù de outro momento que tive e que fiquei anestesiada, sem querer viver a dor na sua integralidade, e, graças a Deus, a Carol e Dan, eu consegui digerir algumas coisas depois que eles me incentivaram a ouvir e ouvir e ouvir e ouvir a música “Socorro” de Arnaldo Antunes e eu comecei a ver o que estava acontecendo dentro de mim... É meio que um mecanismo de defesa que minha mente criou pra se defender, mas que me machuca ainda mais... Queria falar mal, partir pra briga, sei lá, qualquer coisa que me fizesse vomitar toda coisa suja que fica dentro de mim, mas não consigo... Desta vez nem com Carol eu consegui falar e ela me disse novamente: “Isso é ruim, você sabe disso”... Mas vai entender essa minha cabeça e esse meu coração? Eles se trancam e vão me deixando assim, a mercê da boa vontade deles...

Mas enfim, não quero ofender ninguém, atingir ninguém, mandar indireta pra ninguém, eu só escrevo porque preciso e quem já leu outras fases minhas por aqui sabe bem disso... Já chorei, sorri, briguei, xinguei, elogiei, amei e odiei aqui por muitas vezes, o que não significava estar “espetando” ninguém...

Por favor, pelo amor de Deus, não sintam culpa por meus sentimentos, não sintam pena das minhas dores/neuras, não vistam carapuças se eu não colocar nome nelas... Eu não quero compaixão nem gente se chicoteando por ter entrado/saído da minha vida... Cada um faz da sua vida o que quer, segue pelo caminho que quer, na hora que quer, a isso chamamos de “livre-arbítrio”...

Não quero que pensem que estou aqui choramingando nem pedindo clemência não... Só digo o que vai dentro de mim e volto sempre pra ler e reler e ler de novo e outra vez atéééééé...

Não sejam tão egoístas a ponto de querer controlar até o que nem depende de vocês, nem o que não lhes diz respeito... Sendo bem honesta, nem leiam mais isso aqui já que “talvez” isso lhes cause qualquer mal estar... Não perderia meu tempo ofendendo no MEU BLOG se não pudesse citar nomes... Rs...

Gentchê, é querer ser importante demais né não? Kkkkkk

Então fica claro aqui, pra você que comentou, que não, eu não escrevi pra você, eu não sei nem quem você é, eu não quero sua dó, você não é responsável por mim, não gostaria que você me lesse, e que se o fizesse não comentasse (Mas preferia que não lesse mesmo... Use seu tempo com coisas mais festivas)... Não quero mais ter que fazer este mesmo discurso aqui...  (Ah, mas se você for quem eu estou pensando que é, vá viver suas coisas e cumpra a mesma promessa que me fez fazer: Desapareça para todo sempre, amém!)

Peço desculpas novamente a quem ofendi por tabela... Coloquei moderação nos comentários justamente por isso, por já ter tido esses “probleminhas” antes... Gostei até de alguns comentários que recebi, publique a grande maioria deles, até respondi alguns, mas este não é meu intuito aqui...

Quando Mariana me sugeriu fazer um blog eu entendi que fosse pra exercitar a escrita e despejar nele aquilo que vive em mim... Se fosse diferente eu não escreveria... Poucos amigos sabem o endereço deste blog, poucos sabem que eu escrevo, poucos sabem que eu existo (adorooooo isso), poucos qualquer coisa, como tudo em minha vida eu só divido com “poucos”... Esse é meu esconderijo, minha bat-caverna, meu mundo restrito, meu cantinho verde... Por favor, respeite ao menos isso...

E já que estamos falando de exercício, escrita, sentimentos, desaforos, poucos... O pouco que ainda me restou está sendo colocado em caixas, malas e afins... Se não for pedir muito, inclua em suas preces o pedido pra meu único desejo se realizar agora... Daí eu mudo de cidade, de estado e quem sabe até de blog... Certamente que será ainda mais difícil me ver, saber de mim, de sentir ferroadas (já que alguns tem mania de perseguição), ou coisas afins... Peça a Deus pra que eu siga em frente e que seja rumo ao lugar que eu escolhi para recomeçar... "Longe, longe, longe daqui”...

Abraço pra quem é de abraço, axé pra quem é de axé e adeus pra quem deixa de ler meu blog a partir de hoje.

OBS: Este é o post 699, daí terei que dar uma "caprichada" no 700, já que os múltiplos de 100 sempre foram mais abrangentes... Aguardem cenas dos próximos, ou melhor, dos antigos capítulos...rs

OBS 2: Vou deixar aqui links de outras situações como esta que já aconteceram aqui e que eu "chutei o pau da barraca verde"... rs... Espero que ajude a "entender" que aqui sou eu em carne viva e não passível de comentários... Tenham um bom dia... 


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Aviso aos navegantes...




Já disse isso mil vezes e direi mil e todas...

Esse espaço é meu, esse blog eu fiz para deixar MINHAS coisas, MEUS sentimentos...

Não peço opinião de ninguém, nem comentários eu peço, e, me perdoem os que acompanham este espaço, não faço questão de comentários não... EU ESCREVO PRA MIM... Será que não ficou claro isso?

Se alguém leu, tirou conclusões, vestiu carapuças, sentiu dó, mordeu o calcanhar, não me interessa...

Acabei de deletar um comentário DESNECESSÁRIO que me enviaram... 

Se não tem o que fazer vá fazer palavras cruzadas, crochê, lavar roupas, me deixem em paz... Não quero comentários, esse espaço é reservado a mim, é meu consultório, meu lugar de desabafos não seu... Quer escrever? Crie o seu espaço... 

Me desculpem a falta de tato mas o que eu escrevo não é pra ninguém senão pra mim...

Posso continuar escrevendo? Posso continuar dona deste espaço? Por que se não puder me avisa aí Google que eu paro...

Fala sério, do mesmo jeito que o mundo não quer notícias minhas eu não quero notícias do mundo...

Se foi você que comentou VISTA ESSA CARAPUÇA, ESSA BURCA e pare de emitir sua opinião sobre o que escrevo... Já experimentou olhar pro seu próprio mundo? Se já, ótimo, se não tá perdendo tempo...

PELA ÚLTIMA VEZ: DEIXE MEU ESPAÇO EM PAZ, EU NÃO ESCREVO PRA VOCÊ CARAMBA...

Novamente, desculpe quem lê, acompanha e sabe desta minha opinião já a muito tempo... 

Esse post foi uma espécie de resposta a um comentário que recebi, tomara que o coice chegue a quem comentou, que o "simancol" sirva e me deixe continuar escrevendo, desabafando, cuspindo, vomitando o que eu quiser, afinal o blog é meu, os (as) sentimentos/sensações são meus (minhas) e se as pessoas tivessem mais o que fazer não perderiam seu tempo sugestionando nada...

E tenho dito.

Entendeu ou quer que eu desenhe?

(PQP desperdicei um post e tô ardendo de raiva...)

Rosa de Saron: Um momento lindoooooo que vivi...


 Dia 10 de agosto de 2012, Itagibá - Bahia... Um show que não vou esquecer...

Teve seus aspectos chatos (esperar 3 horas de pé foi demais... Meus pés doem até hoje... E não cantar "Mais que um mero poema" também foi chato...) mas compensou demais...

Eu, meus irmãos lindos e uma emoção sem fim... Quando cantaram "Menos de um segundo" nos abraçamos forte (eu e meus 2 irmãos) e choramos muito... Teve um depoimento da tia de Guilherme (vocalista) que remeteu a gente a "perdas" recentes em família, e em mim foi mais forte pois perdi mais do que eles no último ano...

Perdi, além das pessoas que a morte levou, uma pessoa que amei muito... Que ainda não saiu de mim... E naquele momento foi como se a vida só me chamasse num canto e dissesse: Pode chorar agora, Deus está aqui te protegendo... E eu chorei, muito até (como estou tentando não fazer agora, enquanto escrevo este texto, no trabalho)... 

Poucas vezes gostei tanto de estar num lugar... Nunca imaginei que aquele lugar (a praça central, onde fui várias vezes dançar forró nas festas juninas da vida) me traria uma emoção tão grande... Muita coisa da minha vida passou ali diante dos meus olhos... Com certeza me deu uma força maior pra seguir em frente...

Queria escolher uma canção que representasse o momento que vivi ali mas não consegui porque são muitas as que me vem a mente, vou deixar duas delas aqui como uma homenagem a banda e ao Deus que nos mantem fortes, que nos acolhe, que nos ama e nunca nos abandona e a outra que foi a que mais me emocionou ...

Mestre Maior, continuo a repetir minha prece como um mantra: Tome minha vida em tuas mãos e me guia de acordo a Tua vontade pois, neste momento desta minha existência, não sou capaz de tomar minhas próprias decisões... Age em mim Senhor, independente das minhas vontades... Age em mim Senhor... Que assim seja!




Casino Boulevard - Rosa de Saron


Se ganhou suspire, se perdeu aprenda.
Porque é hora de ser, não demore ou
Vai perder sua aposta, agora é a hora,
Escolha bem suas cartas, o seu jogo já vai começar.
O lance está no ar, é só você gritar bem alto, alto
Mas se prepare, prepare.
Porque nada no mundo é de graça,
Você pode até ter medo, mas ande, caminhe, e só não pare, não pare.
Qual é o seu limite? Até onde aguenta?
Se tudo aqui tem prazo, qual é o seu?
Pois tudo aqui tem um porque, a vida é o casino e você a ficha.
Nunca permita que a sua, felicidade dependa de algo que possa perder.
(O lance está no ar)
O lance está no ar, é só você gritar bem alto, alto
Mas se prepare, prepare.
Porque nada no mundo é de graça,
Você pode até ter medo, mas ande, caminhe, e só não pare, não pare nunca!
Todos querem uma fatia da sua glória,
Todos todos querem apostar a sua vida
Sua graça, sua culpa, sua calma, sua alma
O lance está no ar, é só você gritar bem alto, alto
Mas se prepare, prepare.
Porque nada no mundo é de graça,
Você pode até ter medo, mas ande, caminhe, e só não pare, não pare
Nada no mundo é de graça
(Música de trabalho atual da banda, que me remeteu a meu momento de reconstrução, principalmente quando diz: Você pode até ter medo, mas ande, caminhe, e só não pare, não pare)
XXXXXXXXXXX

Menos de um segundo

Rosa de Saron

Lembro de nós dois

Sorrindo na escada aqui

Estava tudo tão bem

E de repente acabou


Vozes no portão

Passos no saguão

Poderia ser você

Mas faz tempo que partiu


Deixou algo aqui,

e pouco a pouco encontro seus sinais


Menos de um segundo e eu já perco o ar

Quase um minuto, quero te encontrar 

É um sentimento que preciso controlar

Porque você se foi 

Não está aqui


Tudo que ficou

Mexe com meu interior

Isso afeta meus sentidos

Foi o seu cheiro que sumiu


Tudo acabou, 

interrompeu-se tudo que existiu


Menos de um segundo e eu já perco o ar

Quase um minuto, quero te encontrar

É um sentimento que preciso controlar

Porque você se foi

Não está aqui


Partiu num dia qualquer

Sem ao menos dizer adeus

E o que ficou?

Um coração que sofre

Como quem espera a próxima entrada da estação

E o que separa o frio do calor

É a emoção de saber que vou

Poder te reencontrar um dia

Eternamente te encontrar

Eternamente encontrar você


Menos de um segundo e eu já perco o ar

Quase um minuto, quero te encontrar

É um sentimento que preciso controlar

Porque você se foi

Não está aqui


(Essa eu precisava postar pois foi o momento mais emocionante do show... Foi, de verdade, um dos momento mais incrivelmente emocionantes em minha vida... Obrigada Senhor, Muito obrigada!)

Ahhh, essas fotos são do show mesmo, direto de Itagibá City...