sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Mais informações sobre depressão...


Generalidades

Depressão é uma palavra freqüentemente usada para descrever nossos sentimentos. Todos se sentem "para baixo" de vez em quando, ou de alto astral às vezes e tais sentimentos são normais. A depressão, enquanto evento psiquiátrico é algo bastante diferente: é uma doença como outra qualquer que exige tratamento. Muitas pessoas pensam estar ajudando um amigo deprimido ao incentivarem ou mesmo cobrarem tentativas de reagir, distrair-se, de se divertir para superar os sentimentos negativos. Os amigos que agem dessa forma fazem mais mal do que bem, são incompreensivos e talvez até egoístas. O amigo que realmente quer ajudar procura ouvir quem se sente deprimido e no máximo aconselhar ou procurar um profissional quando percebe que o amigo deprimido não está só triste.

Uma boa comparação que podemos fazer para esclarecer as diferenças conceituais entre a depressão psiquiátrica e a depressão normal seria comparar com a diferença que há entre clima e tempo. O clima de uma região ordena como ela prossegue ao longo do ano por anos a fio. O tempo é a pequena variação que ocorre para o clima da região em questão. O clima tropical exclui incidência de neve. O clima polar exclui dias propícios a banho de sol. Nos climas tropical e polar haverá dias mais quentes, mais frios, mais calmos ou com tempestades, mas tudo dentro de uma determinada faixa de variação. O clima é o estado de humor e o tempo as variações que existem dentro dessa faixa. O paciente deprimido terá dias melhores ou piores assim como o não deprimido. Ambos terão suas tormentas e dias ensolarados, mas as tormentas de um, não se comparam às tormentas do outro, nem os dias de sol de um, se comparam com os dias de sol do outro. Existem semelhanças, mas a manifestação final é muito diferente. Uma pessoa no clima tropical ao ver uma foto de um dia de sol no pólo sul tem a impressão de que estava quente e que até se poderia tirar a roupa para se bronzear. Este tipo de engano é o mesmo que uma pessoa comete ao comparar as suas fases de baixo astral com a depressão psiquiátrica de um amigo. Ninguém sabe o que um deprimido sente, só ele mesmo e talvez quem tenha passado por isso. Nem o psiquiatra sabe: ele reconhece os sintomas e sabe tratar, mas isso não faz com que ele conheça os sentimentos e o sofrimento do seu paciente.

Como é?

Os sintomas da depressão são muito variados, indo desde as sensações de tristeza, passando pelos pensamentos negativos até as alterações da sensação corporal como dores e enjôos. Contudo para se fazer o diagnóstico é necessário um grupo de sintomas centrais:

  • Perda de energia ou interesse
  • Humor deprimido
  • Dificuldade de concentração
  • Alterações do apetite e do sono
  • Lentificação das atividades físicas e mentais
  • Sentimento de pesar ou fracasso

Os sintomas corporais mais comuns são sensação de desconforto no batimento cardíaco, constipação, dores de cabeça, dificuldades digestivas. Períodos de melhoria e piora são comuns, o que cria a falsa impressão de que se está melhorando sozinho quando durante alguns dias o paciente sente-se bem. Geralmente tudo se passa gradualmente, não necessariamente com todos os sintomas simultâneos, aliás, é difícil ver todos os sintomas juntos. Até que se faça o diagnóstico praticamente todas as pessoas possuem explicações para o que está acontecendo com elas, julgando sempre ser um problema passageiro.

Outros sintomas que podem vir associados aos sintomas centrais são:

  • Pessimismo
  • Dificuldade de tomar decisões
  • Dificuldade para começar a fazer suas tarefas
  • Irritabilidade ou impaciência
  • Inquietação
  • Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer
  • Chorar à-toa
  • Dificuldade para chorar
  • Sensação de que nunca vai melhorar, desesperança...
  • Dificuldade de terminar as coisas que começou
  • Sentimento de pena de si mesmo
  • Persistência de pensamentos negativos
  • Queixas freqüentes
  • Sentimentos de culpa injustificáveis
  • Boca ressecada, constipação, perda de peso e apetite, insônia, perda do desejo sexual

Diferentes tipo de depressão

Basicamente existem as depressões monopolares (este não é um termo usado oficialmente) e a depressão bipolar (este termo é oficial). O transtorno afetivo bipolar se caracteriza pela alternância de fases deprimidas com maníacas, de exaltação, alegria ou irritação do humor. A depressão monopolar só tem fases depressivas.

Depressão e doenças cardíacas

Os sintomas depressivos apesar de muito comuns são pouco detectados nos pacientes de atendimento em outras especialidades, o que permite o desenvolvimento e prolongamento desse problema comprometendo a qualidade de vida do indivíduo e sua recuperação. Anteriormente estudos associaram o fumo, a vida sedentária, obesidade, ao maior risco de doença cardíaca. Agora, pelas mesmas técnicas, associa-se sintoma depressivo com maior risco de desenvolver doenças cardíacas. A doença cardíaca mais envolvida com os sintomas depressivos é o infarto do miocárdio. Também não se pode concluir apressadamente que depressão provoca infarto, não é assim. Nem todo obeso, fumante ou sedentário enfarta. Essas pessoas enfartam mais que as pessoas fora desse grupo, mas a incidência não é de 100%. Da mesma forma, a depressão aumenta o risco de infarto, mas numa parte dos pacientes. Está sendo investigado.

Depressão no paciente com câncer

A depressão costuma atingir 15 a 25% dos pacientes com câncer. As pessoas e os familiares que encaram um diagnóstico de câncer experimentarão uma variedade de emoções, estresses e aborrecimentos. O medo da morte, a interrupção dos planos de vida, perda da auto-estima e mudanças da imagem corporal, mudanças no estilo social e financeiro são questões fortes o bastante para justificarem desânimo e tristeza. O limite a partir de qual se deve usar antidepressivos não é claro, dependerá da experiência de cada psiquiatra. A princípio sempre que o paciente apresente um conjunto de sintomas depressivos semelhante ao conjunto de sintomas que os pacientes deprimidos sem câncer apresentam, deverá ser o ponto a partir do qual se deve entrar com medicações.
Existem alguns mitos sobre o câncer e as pessoas que padecem dele, tais como"os portadores de câncer são deprimidos". A depressão em quem tem câncer é normal, o tratamento da depressão no paciente com câncer é ineficaz. A tristeza e o pesar são sentimentos normais para uma pessoa que teve conhecimento da doença. Questões como a resposta ao tratamento, o tempo de sobrevida e o índice de cura entre pacientes com câncer com ou sem depressão estão sendo mais enfocadas do que a investigação das melhores técnicas para tratamento da depressão.
Normalmente a pessoa que fica sabendo que está com câncer torna-se durante um curto espaço de tempo descrente, desesperada ou nega a doença. Esta é uma resposta normal no espectro de emoções dessa fase, o que não significa que sejam emoções insuperáveis. No decorrer do tempo o humor depressivo toma o lugar das emoções iniciais. Agora o paciente pode ter dificuldade para dormir e perda de apetite. Nessa fase o paciente fica ansioso, não consegue parar de pensar no seu novo problema e teme pelo futuro. As estatísticas mostram que aproximadamente metade das pessoas conseguirá se adaptar a essa situação tão adversa. Com isso estas pessoas aceitam o tratamento e o novo estilo de vida imposto não fica tão pesado.

A identificação da depressão

Para afirmarmos que o paciente está deprimido temos que afirmar que ele sente-se triste a maior parte do dia quase todos os dias, não tem tanto prazer ou interesse pelas atividades que apreciava, não consegue ficar parado e pelo contrário movimenta-se mais lentamente que o habitual. Passa a ter sentimentos inapropriados de desesperança desprezando-se como pessoa e até mesmo se culpando pela doença ou pelo problema dos outros, sentindo-se um peso morto na família. Com isso, apesar de ser uma doença potencialmente fatal, surgem pensamentos de suicídio. Esse quadro deve durar pelo menos duas semanas para que possamos dizer que o paciente está deprimido.

Causa da Depressão

A causa exata da depressão permanece desconhecida. A explicação mais provavelmente correta é o desequilíbrio bioquímico dos neurônios responsáveis pelo controle do estado de humor. Esta afirmação baseia-se na comprovada eficácia dos antidepressivos. O fato de ser um desequilíbrio bioquímico não exclui tratamentos não farmacológicos. O uso continuado da palavra pode levar a pessoa a obter uma compensação bioquímica. Apesar disso nunca ter sido provado, o contrário também nunca foi.
Eventos desencadeantes são muito estudados e de fato encontra-se relação entre certos acontecimentos estressantes na vida das pessoas e o início de um episódio depressivo. Contudo tais eventos não podem ser responsabilizados pela manutenção da depressão. Na prática a maioria das pessoas que sofre um revés se recupera com o tempo. Se os reveses da vida causassem depressão todas as pessoas a eles submetidos estariam deprimidas e não é isto o que se observa. Os eventos estressantes provavelmente disparam a depressão nas pessoas predispostas, vulneráveis. Exemplos de eventos estressantes são perda de pessoa querida, perda de emprego, mudança de habitação contra vontade, doença grave, pequenas contrariedades não são consideradas como eventos fortes o suficiente para desencadear depressão. O que torna as pessoas vulneráveis ainda é objeto de estudos. A influência genética como em toda medicina é muito estudada. Trabalhos recentes mostram que mais do que a influência genética, o ambiente durante a infância pode predispor mais as pessoas. O fator genético é fundamental uma vez que os gêmeos idênticos ficam mais deprimidos do que os gêmeos não idênticos.


Última Atualização: 8-10-2004
Ref. Bibliograf:
Liv 01 Liv 19 Liv 03 Liv 17 Liv 13 Eur. Psychiatry 2001; 16: 327-335
Relapse and Recurrence Prevention in Major Depression
JG storesum
J Psychiatry Res. 2000; 48: 493-500
Severe Depression is Associated with Markedly Reduced Heart Rate?
Phillis K Stein Psychiatry Research 2001; 104: 175-181
Symptoms of Atypical Depression
Michael Posternak

(Fonte: http://www.psicosite.com.br/tra/hum/depressao.htm)

Depressão... (Será isso?)


O que é a depressão?

A depressão é uma doença mental que se caracteriza por tristeza mais marcada ou prolongada, perda de interesse por actividades habitualmente sentidas como agradáveis e perda de energia ou cansaço fácil e afecta cerca de 20% da população portuguesa [*1].

O sentimento de depressão pode ser uma reacção normal a uma perda, às dificuldades da vida ou a uma baixa auto-estima. No entanto, quando estes sentimentos intensos de tristeza – incluindo sentir-se sem esperança, sem rumo, inútil e sem valor – duram por muitos dias e até semanas e o impedem de desempenhar o seu quotidiano normalmente, o seu sentimento de depressão pode significar mais do que simples tristeza. Pode ser uma depressão clínica, uma condição médica que tem tratamento.

O que pode levar a uma depressão?

Estes são alguns factores que podem aumentar o risco de depressão:

- Abuso. Abuso sexual ou emocional pode contribuir para um estado depressivo no futuro.

- Determinada medicação. Por exemplo, alguns medicamentos usados para tratar a elevada pressão arterial, como a reserpina ou os bloqueadores-beta, podem aumentar o risco de depressão.

- Conflito. A depressão pode resultar de conflitos pessoais ou disputas com membros familiares ou amigos.

- Perda de um ente querido. A tristeza resultante da morte de uma pessoa próxima pode aumentar o risco de depressão.

- Genética. Se existirem casos de depressão na história dos seus antepassados familiares é possível que você tenha nos seus genes uma propensão natural à depressão.

- Ocasiões importantes. Mesmo ocasiões importantes como a conquista de um novo emprego, terminar da licenciatura, casamento ou baptizado podem levar a um estado de depressão. Da mesma maneira, ocasiões como um divórcio, perda de emprego ou reforma também podem deixar um indivíduo deprimido.

- Outros problemas pessoais. Problemas como o isolamento social em resultado de outras doenças mentais ou a expulsão do seio familiar ou de um grupo social podem conduzir à depressão.

- Doenças sérias. Às vezes, a depressão co-existe com uma doença principal fisicamente mais grave.

- Abuso de substâncias. Muitas pessoas que consomem substâncias ilegais têm problemas de depressão.

Como se trata a depressão?

Normalmente, a depressão é tratada através do recurso a medicamentos ou de intervenções psicoterapêuticas. A decisão de iniciar uma intervenção deste tipo deve ser sempre falada com o seu médico. É difícil a pessoa deprimida reunir condições para conseguir decidir o tratamento mais adequado a si sem a ajuda de um profissional de medicina.

Os medicamentos utilizados no tratamentos de pacientes deprimidos são os antidepressivos. Se lhe forem receitados antidepressivos, nunca pare o tratamento sem conhecimento do médico que o acompanha. Esclareça-se com ele, para que fique sem dúvidas em relação a este assunto importante.
(Fonte: http://logon.prozis.pt/a-depressao-o-que-e-e-o-que-pode-levar-a-este-estado/)

Paciência Lenine... Paciência... Também finjo ter paciencia...

"Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não..."

Um desabafo...

Preciso dar um tempo da minha vida...

Ando tão cansada de tudo, tão sem vontade de nada do que existe hoje em minha vida...

Estou trabalhando em algo que não é o que me deixa feliz, mas paga as contas... Ando me dedicando a uma relação que é a que sempre quis, mas que não anda nada bem das pernas... Ando gostando de alguém que é tão, tão, tão... Deixa pra lá...

De repente ("não mais que de repente") as coisas perderam a graça...

Não sinto vontade de coisas que são vitais...

E sabe o que é pior de tudo? Ontem me dei conta que desaprendi a ser só e que não devia ter feito isso...

Cheguei morta de cansada do trabalho mas ultra feliz pois ia ao show do Osvaldo Montenegro... Tava eu lá cantarolando, feliz mesmo porque gosto muito do Osvaldo e nunca fui num show dele... Maaaaassss... Acabei trancada no banheiro chorando...

Isso, definitivamente não é algo bom, não é saudável, sequer é algo que se deseje...

Querer as coisas "junto" é frustrante quando o "junto" nem funciona mais tão "junto"assim...

E no fim virei "a doida", não fui ao show, me arrependi amargamente de ter desaprendido a ser como sempre fui, dormi e até agora me pergunto: O que ando fazendo da minha vida?

Um gosto amargo na boca e no pensamento, um choro ainda ansiando por sair e eu aqui, trabalhando, com vontade de chutar o balde e assumir que ando cansada sim e que sei bem do quê.

Abraço!

Achei este texto num blog e ele reflete exatamente o que estou sentindo...


"Cansada!
Cansada de tolices,
De incertezas,
De joguinhos,
Cansada de indecisões,
Cansada da falta de atitude,
Cansei da falta de originalidade,
Falta de personalidade,
Cansada de dar importância,
Para coisas sem importância,
Cansada das coisas serem assim,
Pois elas são assim e não vão mudar!
Cansada de ser ativa,
Cansada de estar pensando em tudo isso agora!
Não quero mais pensar.
Cansada de sempre tomar atitude,
Do mundo, da vida, de tudo!
Cansada das pessoas reclamarem da vida,
Cansada de reconhecer isso em mim!
Cansada de não ser do jeito que eu quero,
Por que é sempre do jeito que os outros querem,
Na hora que querem e quando querem.
Cansada de não ser quem eu quero ser.
Existe algo errado,
Mas ainda não sei o que é."

(Fonte: http://oinacabamento.blogspot.com/2010/07/cansada.html)

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

E tudo se resolveu, tudo voltou ao normal e "ele" voltou pra casa... "Tudo vai ficar bem"!!!!

Tudo Vai Ficar Bem

Cof Damu

Composição: Veu Pater

Um dia a casa viu que algo lhe faltou
Então abriu as portas para o caso entrar
Ele se alojou e logo quis casar
E a fez quase ruir de tanto que lhe cansou

Quem esperava ter errado quando decidiu
Reinventar a historia
Mas tudo vai ficar bem

A casa então se pintou
Pra encontrar o caso que ele
Viveu distante das cercas de amor

Ela só se estremeceu
Pois teve a certeza de que
Era ele quem devia partir sem voltar mais

Quem esperava ter errado quando decidiu
Reinventar a historia
Mas tudo vai ficar bem
Não existe fim

Ainda que nas tardes
Ela possa escutar
Em suas paredes
O que ele a fez sofrer
Não teve medo de deixar assim
O vento entrar pelas janelas de estar

Quem esperava ter errado quando decidiu
Reinventar a historia
Mas tudo vai ficar bem

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Vi por aí...

"Não me pergunte quem sou e não me diga para permanecer o mesmo."

[Michel Foucault]

Mais um dia muito triste...

Hoje fiz tudo que não devia fazer...

Pedi desculpa por erros que não foram meus, chorei na frente de quem me feriu, pedi muito pra que voltasse, acabei voltando pra casa sozinha e tive momentos de muita dor sufocando meu peito...

Nunca chorei tanto, nunca senti tanto medo, nunca me senti tão rejeitada...

Vi frieza nos olhos daquele que amo e foi como se meus ossos congelassem...

Chorei, chorei, chorei tanto que queria morrer...

Estou a dois dias sem dormir, comendo bolo, pipoca e outras bobagens, tendo pensamentos tão dolorosos... Tudo muito ruim...

A noite o choro derrubou os dois ao telefone... Ele vai voltar "amanhã"...

E sabe o que mais aconteceu? Chorei ainda mais, senti ainda mais dor e medo...

Depois de ser ferida por ele, de ouvir que minhas escolhas são burras, que minha vontade de viver por mim é insana, que recomeçar (a minha vida) é uma balela... Depois de me sentir "dormindo com minha mãe", depois de me sentir manipulada, eis que eu fui lá "buscar quem amo"...

Seria um erro? Ou mais um erro? Será que vou abrir mão de minhas escolhas outra vez em nome de sentimentos que tenho por outro alguém? E se isso se repetir? E se eu tiver que passar todo este sofrimento outra vez? E se ele fizer de novo e de novo e de novo????

Confesso que agora estou com medo desta "volta"...

Eu não queria nutrir sentimentos deste tipo por mais ninguém, nem ter um relacionamento sério com mais ninguém faz muito tempo, mas eu o conheci, me deixei levar e meu coração decidiu deixá-lo ficar ... Eu não quis fugir (embora sempre achasse que deveria)... Eu queria mudar minha vida e só poderia fazê-lo depois de concluir a graduação (afinal, "alguém" pagou por isso), daí seriam as minhas escolhas, a minha vida, as minhas vontades... E deixá-lo ficar era escolher ter um parceiro para este novo momento... Desde então todos os planos passaram a ser conjuntos... Até que aconteceu uma briga e ele me feriu voluntariamente com suas 'verdades", desmerecendo minhas escolhas...

Agora estou ainda mais perdida... Amanhã ele volta e eu o que faço?

Amo-o demais pra deixá-lo ir... Mas não posso aceitar que me manipulem nem que anulem minhas crenças, meus planos, que desmereçam minhas vontades... Eu quero e vou recomeçar minha vida de maneira diferente, mas isso não será um choque dentro da relação?

Tô com medo, muito medo... Deixá-lo voltar e correr riscos de "recaídas ditatóriais" ou acabar com isso, seguir sozinha e correr o risco de nada fazer sentido sem ele?

Ahhhhhh... Meu coração tá aflito demais...

Deus, me orienta e me ajuda... Sozinha não saberei mesmo o que fazer...

Desculpem o desabafo mas não tive um amigo real por perto pra conversar... Só sobrou este espaço aqui...

Abraços!

(PS.: Hoje completaríamos 6 meses juntos...)

sábado, 4 de dezembro de 2010

Explicando os post anteriores...

Ontem alguém que amo muito disse coisas pra mim que nunca esperei que dissesse... Me machucou profundamente e depois foi embora da minha vida... Foi afirmando que só disse "verdades"...

Algumas coisas são difíceis, outras são dolorosas e outras difíceis e dolorosas ao mesmo tempo...

Hoje eu chorei muito... Depois de muito tempo eu cheguei a acreditar que tinha encontrado alguém que me apoiaria na reconstrução da minha vida...

Bem, acho que só encontrei mesmo mais alguém pra dizer que minhas escolhas são burras, que devo ser o que eu não quero e que não existe mais tempo pra recomeçar minha vida...

Hoje eu realmente estou decepcionada... Hoje eu estou realmente ferida... Mas dessa vez eu não vou desistir do que escolhi... Se as pessoas me amassem de verdade me apoiariam e não tentariam me convencer que meus anseios de "uma vida traçada por mim" fossem mera "burrice"...

Que Deus me fortaleça e me oriente... (Amém!)

Explicado... Mas mesmo assim, doloroso...

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA

"Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, que companhia nem sempre significa segurança, e começa a aprender que beijos não são contratos, e que presentes não são promessas...

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança; aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão...


Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo, e aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais, e descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida; aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida, e que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que eles mudam; percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos...

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influências sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve compará-los com os outros, mas com o melhor que podem ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde se está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que ou você controla seus atos, ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática...

Descobre que algumas vezes a, pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se; aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou; aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha; aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens; poucas coisas são tão humilhantes... e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso...

Aprende que quando se está com raiva se tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém; algumas vezes você tem que aprender a perdoar a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás, portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores, e você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.

Descobre que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar."

William Shakespeare

"Recomeçar"


Não importa onde você parou …
Em que momento da vida você cansou…
O que importa é que sempre é possível e necessário “Recomeçar”.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
É renovar as esperanças na vida e o mais importante…
Acreditar em você de novo…
Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado.
Chorou muito? Foi limpeza da alma.
Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia.
Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu para “chegar” perto de você.
Recomeçar…
Hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar?
Ir alto… sonhe alto…
Queira o melhor do melhor…
Pensando assim trazemos pra nós aquilo que desejamos…
Se pensarmos pequeno coisas pequenas teremos ….
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar em nossa vida.

“Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.”

(Carlos Drummond de Andrade)

(Nunca é tarde pra recomeçar... A única coisa que quero é viver uma vida que eu escolher... Uma pena que isso seja "burrice demais" na "sua opinião"... Infelizmente você fez a escolha mais difícil, a escolha de me ferir voluntariamente... Um pena... Um conselho de amiga: Cuidado com as verdades que dizes, estas podem ferir irremediavelmente a outra pessoa e pode se voltar imediatamente contra você... Como dizia minha sabia vovózinha:
"Quem diz o que quer ouve o que não precisa"...)


Reverência ao destino

(Pra você entender que nem sempre nosso julgamento é o mais correto... Que algumas verdades ferem mais que as piores mentiras e que todas as pessoas são diferentes... Que não somos os donos do mundo, apenas habitantes de passagem... Que o respeito aos sonhos alheios é infinitamente mais importante que qualquer razão que a "Razão" venha a nos mostrar...)


Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar, e aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata
.

Carlos Drummond de Andrade

sábado, 27 de novembro de 2010

Me sentindo meio... Sei lá...


Uns Versos


Composição: Adriana Calcanhoto

Sou sua noite, sou seu quarto
Se você quiser dormir
Eu me despeço
Eu em pedaços
Como um silêncio ao contrário
Enquanto espero
Escrevo uns versos
Depois rasgo

Sou seu fado, sou seu bardo
Se você quiser ouvir
O seu eunuco, o seu soprano
Um seu arauto
Eu sou o sol da sua noite em claro,
Um rádio
Eu sou pelo avesso sua pele
O seu casaco

Se você vai sair
O seu asfalto
Se você vai sair
Eu chovo
Sobre o seu cabelo pelo seu itinerário
Sou eu o seu paradeiro
Em uns versos que eu escrevo
Depois rasgo

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Umas coisas aí...

Algumas vezes me pego meio que "viajando" nas histórias que ouço e vejo por aí...

Primeira situação:

Tava num ônibus lotado indo para o trabalho às 14 horas, um certo cansaço, uma leve apatia, um certo "torpor pós almoço" e, num sinal fechado, eis que uma cena me chamou atenção...

Um casal de hippies (destes que vendem pulseirinhas) estava meio que sentados nas mochilas... Ele cabisbaixo, ela observando-o, ela diz alguma coisa e leva a mão ao rosto dele e faz um carinho, ele pega a mão dela e dá um beijo e eles ficaram ali, sob o calor intenso do sol e a voracidade da "selva de pedra", simplesmente "se olhando"... Então o ônibus seguiu caminho e uma sensação de "Obrigada Senhor" me invadiu...

Por um momento eu pensei: Como uma vidraça de ônibus pode nos surpreender... Basta que tenhamos sensibilidade de ver e a vida se mostra... Ah, essa vida SURPREENDENTE...

Segunda situação:

Estava eu ali (como sempre, "viajando") vendo TV e uma personagem de um seriado qualquer disse: "Felicidade não é uma das minhas prioridades"... Caraca... Que coisas mais, mais, mais... "Sinistramente complexo-impactante-verdadeiramente-real"...

Preciso destacar aqui o quanto isso mexeu comigo (TPM, TPM, TPM... Kkkkk)...

Planejamos o futuro, o presente, o todo sempre baseados em desejos profissionais, desejos de muitas "aquisições", realizações... Casa própria, carro zero, férias no exterior, fim de semana na praia, filhos formados, amigos sorridentes e leais, sair por aí e ???? Ter, ter, ter, realizar e????

Me peguei lembrando de um tempo em que felicidade não era "prioridade" em minha vida, num tempo em que eu não sonhava ter um amor, vida pessoal satisfatória, mãos pra segurar as minhas... E sabe que me peguei meio frustrada? Não que eu não esteja bem com quem amo, mas pensei que trocar a tão sonhada "liberdade" por uma doce e gratificante prisão fosse me deixar mais "animada"... Não posso mentir aqui, e não o farei mesmo sabendo que terei que "explicar" o que estou escrevendo agora... Algumas vezes sinto um vazio grande, outras vezes chego a me frustrar com a capacidade com que as bobagens cotidianas chegam e se instalam "Tsunamicamente" na vida dos pares...

Fala sério... Qualquer coisa que você faz, diz, quiçá pense, acaba virando um "Monstro do Lago Ness" e tenta devorar aquilo que se batalhou tanto pra construir...

(Ah, me emocionei agora lembrando da cena do sinal...)

Algumas vezes o rosa é meio cinza, mesmo você caprichando na atmosfera de "te quero tanto bem"...

Fico pensando: O que seria do mês de novembro sem o rubro bailado dos "flamboyants"... O que seria do hoje sem o doce amargo do amanhã... O que seria do amor sem a paciência... O que seria de mim sem este blog, sem estas divagações, sem estas bobagens que me tomam, sem pipoca doce, bala de goma e suco de manga...

O que seria de mim sem esse vazio que não se preenche, sem a loucura da TPM... O que seria de mim se o Acre fosse meu lar agora...

Não sei... Mas... Vontade de saber eu tinha...

No fim, este texto ficou mais confuso do que eu mesma... "Só pra variar"... (rs)

E a vida vai seguindo, lépida, faceira e sem explicações... Com casais de hippies no sinal e mulheres que amam, embora não saibam "entender o amor"...

Abraços! (Enquanto dormes...)

domingo, 14 de novembro de 2010

...


Dias assim... Dias de chuva...

Estava pensando no rumo inesperado que tomou minha vida e no quanto acabei vulnerável por conta disso...


É incrível a capacidade que tenho de me machucar … Algumas vezes me sinto como na canção “tão a flor da pele” que nem sei explicar...


Na verdade, acho que nunca vou alcançar a paz... Não a paz interior... Aquela que aquieta os pensamentos... Nunca...


Acho que tenho um imã que atrai as grosserias, as brutalidades entre outras coisas “não tão boas”... Ando pensando em mandar costurar minha boca, cimentar meus pensamentos e sepultar minhas sensações...


Sabio quem cantou “everybody hurts, somentimes”...


“Não importa o quanto uma pessoa te seja cara, ela vai te ferir de vez em quando... Não importa em quantos pedaços seu coração se partiu, o mundo não para pra que você o conserte.”... Já dizia Shakespeare...


É a vida meus caros... É a vida...


Digamos que hoje seja apenas um dia assim... Que alguém me feriu... Mas tudo na vida não passa?


Isso, como todo o resto, também há de passar...


Abraço!


(14.11.2010)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Tem dias que gostaria de não ter que existir...


Dialética

É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz
Mas acontece que eu sou triste...

Vinícius de Moraes

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

E o fim de semana foi assim...

Bem, todo mundo deve ter suas historinhas de fim de semana não é? Rs... Umas são agitadas, outras animadas e umas nem tanto assim... Rs... Hoje me deu vontade de contar o meu fim de semana por aqui...

Sexta à noite: Um cansaço danado, uma apatia daquelas e lá vamos nós (eu e o meu bem) comprar coisinhas pra casa... Resultado: Super-ultra-hiper-mega cansaço e um sonão digno de "Belos adormecidos"...


Sábadãããããooo: Ele foi trabalhar e eu fui comprar mais coisinhas de casa... Cafeteira, tapetinhos pro banheiro, panos de prato, copo do liquidificador e etc, etc, etc... Imaginem um "programa de índio"... Imaginaram? Isso mesmo...

Sabadão à tarde: Supermercado com a sogra... Kkkkkkk... Ainda bem que minha sogra é adorável...

Sabadão à noite: (lembrei até da música "todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite") Agora foi o tiro de misericórdia... FAXINÃÃÃÃOOOO... kkkkkk... Eu e meu amor em meio a vassouras, louça, sabão e todos os "apetrechos de limpeza" que vocês possam imaginar... A casa tinha poeira até a minha 8ª geração... Meu bem espirrando e eu tentando proteger... Tadinho, até hoje tá com "alegria" (como dizia meu irmãozinho, rs)... Mas somos persistentes e queriamos um fim de noite romântico... Pipoca, refrigerante, um filminho e............... Capotamos... kkkkkkkkkkkkkkkkkk.... O filme? Só as paredes pra contar...

Domingããããããooo: Acordei às 10 e fiquei olhando "ele" dormir... Tão lindo... Ai ai... Como não me apaixonar todo dia por "ele"? Mas voltando aos fatos... Deixei ele dormindo e fui lavar roupa... Nossa, quantos times de futebol deixaram roupas sujas em minha casa????? Credo... Cansei muitão... Fomos fazer o almoço juntos (embora a "alegria" tivesse perturbando ele)... Uma baguncinha gostosa... Almoçamos e ficamos o resto do dia vendo TV, rindo de nossas próprias bobagens e brincando... Um prato de goiabada com creme de leite e me deu uma vontade de pintar o rosto dele... KKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Foi uma guerra... kkkk... Muito divertido mesmo... Porém eu detesto leite e o cheiro impregnou em mim, resultado, tomei 4 banhos durante metade da tarde... O que também foi divertido.... A noite uma conversa longa, falando da vida e de coisas assim... Lembrei do quanto ele é importante pra mim... Do quanto sou feliz por tê-lo perto... Ai ai...

Sem graça não é? Hum... Você que pensa...

Adorei cada minuto deste fim de semana... Mesmo com o "troféu limpeza" nas mãos...

Acho que isso seja verdadeiramente "o amor"...

Ver beleza, graça e singeleza em estar junto, em ficar abraçado, em fazer faxina juntos e em viver todas as coisas (sejam belas ou cansativas) que aparecerem... Afinal, juntos tudo fica mais fácil, mais prazeroso, juntos tudo nos faz FELIZ!!!!

Ai ai...

(Ei, psiu... Te amo!)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

20 Dicas de Sucesso!!

01 - Elogie três pessoas por dia
02 - Tenha um aperto de mão firme
03 - Olhe as pessoas nos olhos
04 - Gaste menos do que ganha
05 - Saiba perdoar a si e aos outros
06 - Trate os outros como gostaria de ser tratado
07 - Faça novos amigos
08 - saiba guardar segredos
09 - Não adie uma alegria
10 - Surpreenda aqueles que você ama com presentes inesperados
11 - Sorria
12 - Aceite sempre uma mão estendida
13 - Pague suas contas em dia
14 - Não reze pra pedir coisa, reze para agradecer e pedir sabedoria e coragem
15 - Dê às pessoas uma segunda chance
16 - Não tome uma decisão quando estiver cansado ou nervoso
17 - Respeite todas as coisa vivas, especialmente as indefesas
18 - Doe o melhor de si no seu trabalho
19 - Seja humilde, principalmente nas vitórias
20 - Jamais prive uma pessoa de esperança.PODE SER QUE ELA SÓ TENHA ISSO!!