quinta-feira, 29 de maio de 2014

Run baby, run... (A descartabilidade do ser... Meu sentir...)

"So run baby run baby run baby run
Baby run
From the old familiar faces and
Their old familiar ways
To the comfort of the strangers
Slipping out before they say
So long
Baby loves to run..."

quarta-feira, 28 de maio de 2014

terça-feira, 27 de maio de 2014

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Apenas um momento de carência...

E de repente você sente uma saudade gigante, um apertar no peito, e um suspiro escapa, uma lágrima rola, uma vontade de seguir a rota "Itabaiana x Santos" e... Se perder... Ou se achar... Ou...

Seu emocional dança de rosto colado com o esquecimento, embora tenha um caso intermitente com a saudade... 

Embora brinque de circo, pinte a face, o nariz e ponha uma roupa colorida, é triste o que se traz no peito...

E você soluça... Engole a seco...

E... Deixa pra lá... Não faz diferença mesmo... Na verdade, nunca fez...

É só um momento, logo passa...

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Só um dia destes aí...


Meu Aniversário


Hoje é meu aniversário
Corpo cheio de esperança
Uma eterna criança, meu bem
Hoje é meu aniversário
Quero só noticia boa
Também daquela pessoa, oba

Hoje eu escolhi passar o dia cantando
De hoje em diante
Eu juro felicidade a mim
Na saúde, na saúde, juventude, na velhice
Vou pelos caminhos brandos
A minha proposta é boa, eu sei
De hoje em diante tudo se descomplicará
Com um nariz de palhaço
Rirei de tudo que me fazia chorar
Cercada de bons amigos me protegerei
Numa mão bombons e sonhos
Na outra abraços e parabéns

Quero paparicações no meu dia, por favor
Brigadeiros, mantras, músicas
Gente vibrando a favor
Vamos planejar um belo futuro pra logo mais
Dançar a noite toda
Fela Kuti, Benjor e Clara

Parabéns, Bianca!
Parabéns, Felipe!
Parabéns, Micael!
Parabéns, Mateus!
Parabéns, Artur!
Parabéns, Luisa!
Parabéns, eu! Parabéns, eu!

Parabéns, Brendon!
Parabéns, Guiga!
Parabéns, Mayanna!
Parabéns, João!
Parabéns, Duda!
Parabéns, Dri!
Parabéns, eu! Parabéns, eu!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Vamos pensamento, pare agoraaaaaa...

Sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete, sorvete...

Vamos pensar, falar e sentir... Sorveteeeeee...

Kkkkkkkkkkkkkkkk 

(Alguém se lembra?)

Uma canção e suas verdades...


Face The Sun
(James Blunt)

Yes, this love's not good enough
It's time to let it go
Our weary hearts, just fall apart
I feel it in my bones

And God knows
That it's hard to find the one
But in time, all the flowers
Turn to face the sun

So silently, just walk with me
Like any other day
No sad goodbyes, no tears, no lies
Just go our separate ways

And God knows
That it's hard to find the one
But in time, all the flowers
Yes, in time, all the flowers
Turn to face the sun

Yeah, you say what you say
Then you do it to me anyway
You do what you do
Then you walk away, you walk away
You say what you say
Then you do it to me anyway
You do what you do
Yeah, I know that's it's through
(Won't you stay with me?
I know you won't stay with me)

And God knows
That it's hard to find the one
But in time, all the flowers
Yes, in time, all the flowers
Turn to face the sun

Uma reflexão sobre o meu coração...




E tava eu ali, sentada, passando o tempo vendo novela e, diante do quadro de um transplante de coração do pai, uma criança pergunta ao tio: "E no coração novo do papai vai ter lugar pra mim?" Isso me fez refletir sobre meu próprio coração...

Será que eu conseguiria apagar minha memória afetiva apenas "trocando de coração"? 

Será que os que o habitam sairiam junto?

O coração devia nos consultar antes de permitir que alguém, em si,  fizesse morada... 

No coração é tudo tão "eterno"... Tão "tatuado"... Irremovível... (Pausa pra chorar um pouco...) (Pra chorar um muito...)

Eu não queria ter coração... Posso trocar por um rim? Um pulmão? 

Pedi tanto pra meu coração ter cuidado... Se não com ele, ao menos comigo...

Mas como alguém tão bem me disse: O coração é o "Governador" da "Máquina humana"... Ele não pergunta, não faz voltas... Ele manda... "Governa"... Somos apenas seus súditos... Escravos de sua intemperança...

Amar seria tão bonito se os corações só agissem em reciprocidade... Se um coração amasse apenas um coração que correspondesse sua oferta...

E se o meu parasse e fosse possível trocar por um coração "em branco", será que eu deixaria que o habitassem?

Pra mim o amor foi dolorido... (Pausa para um soluço... Para lembranças que eu estou sufocando com muita força... Toda força que tenho...)

Infelizmente meu coração foi terra fértil... Enraizou sentimentos que nem o "glifosato" conseguiu arrancar...

(Ouvindo e, infelizmente, concordando com a Sandy na sua canção "Morada"... Como???)

O jeito é concretar as paredes deste que chamam de "coração" e acabar com todo seu fulgor metafórico... Já que não posso trocá-lo por um novinho... Um que não tenha memória, lembranças e não queime como esse que hoje "pulsa involuntário" em meu peito...

(Ao menos eu consegui chorar...)


Amor em pedacinhos...

Ai, ai...

E de repente, cinco meses e um pouco depois, você se pega "amando em pedacinhos"...

Amando aquele pedacinho de gente que agora quer brincar o tempo todo... Dando mil pedacinhos de sorriso, gargalhando até, quando você faz uma coceguinha, quando você faz um barulhinho com a boca, quando você pergunta: "quem é a nenezinha de mamãe?"

Você fica feliz quando vê cada pedacinho de progresso... Quando ela conseguiu segurar as coisas com suas mãozinhas, quando, enfim, conseguiu morder o chaveirinho de brinquedo, quando ouve seus pedacinhos de palavras, numa comunicação que não se explica mas se entende de todo coração... Quando presta atenção em cada pedacinho da "pessoinha" que está se formando... Nos cabelinhos que caíram e estão voltando, aos poucos, a nascer, nas mãozinhas e pezinhos gorduchinhos que agora não ficam mais quietos e servem de mordedores para "coçar a gengiva"... Quando vê o jeitinho que ela dorme, com o bumbum empinado, com as mãozinhas tortas e você fica o tempo todo consertando pra não machucar... Quando ela fica fazendo barulhinhos ainda dormindo como se tivesse pedindo um carinho... Quando ela se retorce toda "se espriguiçando"... Quando ela assusta, se apoia nos bracinhos, parecendo que está fazendo flexão, procurando você e quando encontra dá aquele sorriso gigante, como se tivesse encontrado um oásis...

Sim, meu amor tem muitos, e lindos, "pedacinhos"...

E quando me pego "beijocando" ela toda quando adormece em meu colo? E quando deitamos juntas no colchãozinho e assistimos repetidas e repetidas e repetidas vezes a "Galinha Pintadinha"? E quando ela se agita toda, sorrindo, por ouvir o "pó pó, pó pó, pó, pó, pó"? E quando se irrita pra mostrar que não gosta daquela musiquinha? E quando mama e fica apertando meu dedo ou me alisando? E quando fica fazendo "bichinho" com a boca? E quando briga com o brinquedo por que ele não sai pra ela morder? E quando toma banho no balde e nem chora? E quando fica alisando o meu cabelo ou o da bonequinha, olhando tão concentrada pra eles que parece coisa de outro planeta? É, muitos pedacinhos de vida eu tenho agora...

Não imagino minha vida sem esse "pedacinho de gente", sem esse "pedacinho de felicidade"... Algumas vezes estou tão cansada que cochilo com ela brincando em meus braços às 23 e tanta, fazendo bichinho, dando gritinhos ou, simplesmente, vendo TV (sim, ela gosta de ver TV... rs)...

Agora eu entendo um pouco o sentido da vida... Agora eu encontrei um tanto de sentido pra minha vida...

Imagina a felicidade que eu senti ao dar a primeira banana amassadinha e ver que ela comeu tudinho? E o mamão? Se bem que ela queria mais comer o avental rosinha e a peleja é forte pra tirar o avental da mão dela rs... 

Enfim, TODA minha vida hoje é dedicada ao bem estar e a felicidade do meu "pedacinho de gente"... Não consigo ser negligente ou colocá-la em segundo plano... Tem o  leitinho (até correr na farmácia embaixo de chuva "pra não faltar"), as mamadeiras, as roupinhas, as fraldinhas, a Galinha Pintadinha diária, o soninho, o climatizador (porque ela sente muito calor), o cadeirão que já foi comprado (e que logo logo usaremos pra dar a papinha diária sem ter que ficar "correndo atrás" da minha serelepinha), o cercadinho que também está a caminho (porque ela adora brincar e no cercadinho vai ficar mais segura e livre pra deitar e rolar), o termômetro, a pomadinha, o paracetamol, as frutinhas, o suquinho e, e, e, e... E tudo pra ela, por ela e por causa dela... O resto que espere... Mesmo que custe caro (e custa), mesmo que canse (e cansa mesmoooo), mesmo que tome todo o tempo (Tempo? O que é isso? rs), mesmo que pros outros nem importe tudo isso, pra mim é como dormir e acordar todos os dias pra viver pra ela...

Tomara que ela esteja feliz, tomara que meu esforço, minha dedicação e amor, sejam capazes de ajudá-la  a crescer e ser uma pessoa de bem...

Me fortaleça e oriente sempre Senhor, pra que eu seja capaz de cuidar deste lindo pedaço de Ti que me concedestes por guardiã...

Obrigada minha Belzinha, muito obrigada... Meu pedacinho de céu...

Te amo, amo e amo...